Estádio do Corinthians e o Templo de Salomão da Igreja Universal

R$ 335 milhões sairão dos cofres do governo, para construir um estádio de futebol

R$ 335 milhões sairão dos cofres do governo, para construir um estádio de futebol

Sou Corinthiano, mas achei um absurdo que o governo esteja bancando a construção do estádio do Corinthians. Sinto uma sensação de déjàvu quando me lembro do Estádio do Morumbi, ou da construção do Projac (complexo de estúdios da TV Globo, que foi construido ás custas do governo)… Mais uma vez, instituições de grande influência, usam seu poder para mamar recursos públicos das tetas do Governo. Que palhaçada. Como corinthiano que sou, não queria que o Corinthians construisse um estádio, por mim poderiam ser dois. Muito maiores, e mais bonitos. Mas como contribuinte, me recuso acreditar que estão usando meus impostos para construir estádio de futebol. Tal atitude se assemelha a prática romana de construir arenas para tirar a atenção do povo das coisas que aconteciam no Senado dos patrícios, na chamada “Política do Pão e Circo”. O valor que o BNDS vai desembolsar para o time do Parque São Jorge, vai ser de aproximadamente R$ 335 milhões. As pessoas ficaram felizes, mas não pararam pra pensar que esse dinheiro vai sair do bolso delas.

'Templo de Salomão' que a Universal construirá em SP

'Templo de Salomão' que a Universal construirá em SP

Por outro lado, a Igreja Universal do Reino de Deus tem sido alvo de criticas por estar construindo um templo que será uma réplica do Templo que o Rei Salomão construiu para Deus, seguindo os moldes arquitetônicos da Biblia. O custo da obra é praticamente o mesmo valor do Estádio de futebol do Corinthians.

Sou a favor do Templo de Salomão da Igreja Universal, e contra o Estádio do Corinthians. Afinal de contas, o Templo da Igreja Universal ajuda quem quer, quem se considera beneficiado pelo trabalho da igreja Universal tem ajudado de maneira voluntária na construção do Templo. Mas agora de maneira imposta, todos os cidadãos estão ajudando na construção Estádio Alvinegro.

Mas o que eu acho curioso é que alguns “cristãos” apoiam a construção do estádio de futebol, e criticam a construção de uma casa para Deus. Quem merece ser homenageado? Deus ou o time do São Jorge?

A mentalidade das pessoas tem sido esta: “300 milhões gastos para o Corinthians é investimento. 300 milhões para Deus é dinheiro jogado fora.”

Nossa sociedade tem que rever seus conceitos e valores.

“Globo é antidemocrática” – Paulo Ramos

Paulo RamosComo se não bastasse a influência no cenário político nacional desde a Ditadura, a “TV Globo” é acusada de utilizar seu poderio de mídia para eleger quem é do seu interesse. Em entrevista à
Folha Universal, o deputado estadual Paulo Ramos, do Rio de Janeiro, líder do Partido Democrático Trabalhista (PDT), e deputado federal por dois mandatos, fala de suas investigações sobre as “Organizações Roberto Marinho”, como a compra do Projac com dinheiro da Caixa Econômica Federal.

1 – O senhor acha a quebra do monopólio da audiência é saudável para o País?
Durante muitos anos as “Organizações Globo” tiveram uma hegemonia muito grande e isto não permite a diversificação da informação. O monopólio é uma perversidade para a democracia. É preciso que haja a concorrência e que se tenha uma multiplicação dos meios de comunicação. A televisão é veículo muito importante e é preciso que haja a competição para que a população receba informações de fontes variadas. A “Globo” se habituou a ter o controle do poder político em função dos índices de audiência. Na medida que os índices caem, diminui a influência dela.

2 – Qual a relação e o poder da mídia às vésperas de uma eleição?
Quando deputado federal, eu fiz um levantamento de tudo que a “Globo” controlava, como as repetidoras nos estados e municípios. Chegamos à conclusão que ela determinava o fato histórico e tinha o poder de adulterar a informação depois do acontecido. E esta situação confere um superpoder que não interessa à democracia.

3 – O senhor acompanhou o caso Proconsult, a suposta tentativa de fraude na eleição do Brizola, em 82. Isto realmente ocorreu?
Aconteceu e foi comprovada a participação do “Sistema Globo”. E, embora tenha tudo ficado evidente e comprovado, ninguém foi responsabilizado.

4 – O senhor acha que a “Globo” segue tentando influenciar nos destinos políticos do País?
Com certeza absoluta. Não é à toa que a “Globo” decide seu modelo de satanizar quem quer e endeusar àqueles que vão de encontro com seus interesses. Mas o interesse da “Globo” nunca é o mesmo da democracia, por isto, não interessa à população.

5 – Isso ainda acontece?
Claro, e inclusive durante a última eleição à prefeito no Rio de Janeiro não concordei com as regras que a “Globo” queria impor e determinar quem iria participar dos debates. Queria selecionar o debate conforme seus interesses. A legislação diz que todo partido que tem representação no Congresso Nacional tem direito de participar. Como a população irá opinar se a “Globo” quer dar as regras. Isto é antidemocrático, mas a “Globo” é antidemocrática.

6 – Na grande maioria da vezes, os políticos se intimidam com a “Rede Globo”? Há o medo de ficar de fora da programação, como aconteceu com ex-prefeito do Rio, Saturnino Braga?
Há dois comportamentos: de dependência e de submissão.Também fiquei impedido de ser entrevistado pela “Globo” quando fiz a CPI da compra do Projac. A emissora procura colocar o parlamentar no anonimato e sepultam a atuação dele. Há casos em que existe uma verdadeira perseguição. Por isto, já fiz ato público em frente à “Globo”, chamando: “É roubo, é roubo é tudo Rede Engodo”, como também um ato em frente ao IBOPE, o orgão de pesquisa preferencial do “Globo”.

7 – Há no cenário político alguém que conseguirá incomodar o poderio da “Globo” como Leonel Brizola, que se elegeu governador do Rio Janeiro, em 82, e se reelegeu, em 1990, mesmo contra a vontade do grupo?

A contribuição de Brizola foi para desmascarar o “Sistema Globo” e hoje se percebe nas pessoas uma rejeição a qualquer esforço da “Globo” de divulgar qualquer informação que não corresponda ao desejo da população. Na dimensão da política de Brizola, ainda não surgiu ninguém com uma coragem tão grande. Como denunciamos, a compra do Projac foi feita com investimento da Caixa Econômica Federal, por U$ 39 milhões (R$ 70,4 milhões), através de uma linha de crédito a juros bem menores do que o captado no mercado.

8 – O senhor acredita que a “Globo“ elegeu Collor e o retirou da Presidência da República? A “TV Globo” teve participação intensa na campanha, em 1989?

O Collor foi candidato da “Globo” e criou um partido para concorrer naquela eleição. Mas é bom lembrar que depois de eleito, Collor rompeu com Roberto Marinho, porque o Collor estava construindo uma rede nacional de televisão e todas as concessões da “Globo” iam vencer em 1993, ainda no governo dele. Ninguém no Brasil é destituído do poder por causa de corrupção. Havia a corrupção no governo de Collor, inclusive também votei pelo impeachment, mas, a “Globo” realmente tinha outros interesses. Ela queria inviabilizar o surgimento de uma nova rede. E dependendo de um comportamento da “Globo”, Collor poderia não renovar as concessões.

9 – Como está o andamento da CPI do Projac? O que foi descoberto?
Ficou comprovado que a Caixa Econômica Federal beneficiou a “Globo” com a construção do Projac.

10 – O senhor pretende continuar investigando as “Organizações Globo”?
Não tenho outra alternativa, pois defendo a democratização da informação. Defendo que se deva pulverizar no controle dos meios da comunicação. A concentração faz mal à democracia. Em países verdadeiramente democráticos isso não acontece. As atitudes da “Globo” são perniciosas. São muitas denúncias contra ela, e a gente vai remando e acreditando no fim da impunidade.

poderio de mídia

NOS BASTIDORES DA REDE GLOBO – FOLHA UNIVERSAL

Porque a Rede Globlo persegue a Igreja Universal?
Para onde vai o dinheiro das doações feitas para Igreja Universal?
O que existe por detrás do Império Global?
Muitas revelações inéditas na Folha Universal dessa semana…Vale a pena conferir!!!


Para baixar a Folha Universal, clique aqui.

REDE GLOBO

Pastor Marco Feliciano apoia Igreja Universal

marco felicianoO pastor e cantor gospel Marco Feliciano criticou, nesta quarta-feira (19), em seu site, os ataques da TV Globo à Igreja Universal. Ele classificou como “nojenta” a reportagem exibida no último dia 11, no “Jornal Nacional”. O pastor do Ministério Tempo de Avivamento acrescentou que a matéria exibida estava mais para Projac (centro de produção da Globo) do que para a vida real.

“Não é segredo que os evangélicos já foram considerados a escória da sociedade. Os mais novos podem não lembrar, mas evangélico era sinônimo de idiota, imbecil e sem cultura. Assumir a fé em Cristo era a certeza de ser criticado. O tempo passou e as coisas mudaram”, comentou.

Marco Feliciano ressaltou que, hoje, os evangélicos estão no governo, nas faculdades, nos consultórios e na mídia. “Os evangélicos, de escória, passaram para aceitáveis, isto é, aceitáveis desde que seus pensamentos, ideologias e interesses não confrontem os de outrem. Os evangélicos cresceram e respondem por boa parte do mercado consumidor. Números recentes apontam um total de, no mínimo, 40 milhões de evangélicos; creio que é muito mais. Contudo, podemos ter 50 milhões de evangélicos, mas nunca teremos 5 milhões de irmãos”, comparou.

O pastor lembrou de alguns casos que geraram polêmica, como o desabamento de um telhado da Igreja Renascer; o missionário David Miranda, da Igreja Pentecostal Deus é Amor, acusado de evasão de divisas e lavagem de dinheiro; e o pastor Silas Malafaia, acusado de homofobia e discriminação por várias entidades. Segundo Marco Feliciano, todos os inquéritos foram concluídos e ninguém foi condenado.

“O que me causou repúdio, e agora é para os que se dizem irmãos, é a inércia da nossa classe, os evangélicos. Vejo as pessoas falando mal de líderes, igrejas, costumes, doutrinas, etc. Onde estão os irmãos na hora da acusação? Onde estão os que juraram amor à obra?”, frisou.

“Você pode não ter simpatia pelo pastor Marco Feliciano, pastor Silas Malafaia, bispo Edir Macedo, apóstolo Estevam, bispa Sônia Hernandes e o missionário David Miranda. Porém, você não pode acreditar em tudo o que vê ou lê. É preciso apurar todos os fatos. A briga entre Globo e Record é nossa? Sim, pois respinga nos evangélicos”, observou.

O pastor disse ainda que todas as igrejas tem a prática do dízimo, libertação e cura. “Quer me fazer acreditar que em sua igreja ninguém nunca saiu falando mal dela e de suas práticas? Não defendo a Record como empresa, mas a IURD como igreja. Como defendi os nomes e casos que citei acima. Se estivessem errados, eu seria o primeiro a falar. Não estavam. É véspera de ano eleitoral, a Record chegou a cravar 10 pontos na segunda colocada, cresce acima da média e, convenhamos, isso não agrada ninguém”, enfatizou.

Marcos Feliciano pediu mais união entre os evangélicos.
“Toda vez que um evangélico é indiciado, respinga em nós. Chega! Acabou a farra! Se você tem algum veículo de comunicação (site, blog, twitter, etc.), use-o neste momento. Defenda sua fé!”, convocou.

O pastor fez questão de registrar sua solidariedade à Igreja Universal do Reino de Deus, especialmente ao líder, Bispo Edir Macedo.
“Podemos divergir em vários assuntos doutrinários, mas o que une os evangélicos como um todo é muito maior: Jesus Cristo. Assim como a Rede Record, faço a seguinte pergunta: como a Rede Globo teve acesso ao processo que corre em segredo de justiça?”, criticou.

Resposta a Rede Globo – Mentiras contra a IURD

Em meio a tantas mentiras e dissimulações do Império das Organizações Globo, o que fazer? Aceitarmos calados? Não! Estamos exercendo o nosso direito de resposta a tantas calúnias e difamações nojentas e manipuladas por quem tem interesse em destruir a Obra do Senhor Jesus.

Eu realmente fico indignado com as pessoas que nessa briga apoiam a Rede Esgoto Globo. A Igreja Universal nunca roubou 1 centavo sequer de ninguém, e ninguém é obrigado a dar dizimo, ninguém é obrigado a dar ofertas, ninguém é obrigado a ajudar nos trabalhos de evangelização… Ajuda que quer.

Mas a Rede Globo pegou dinheiro publico para pagar suas dividas, a rede Globo usou dinheiro publico para construir o ProJac (38 milhões de dolares – dinheiro que deveria ter sido destinado a construção de casas Populares, mas foram para os cofres da Rede Globo), todos (acreditem, todos mesmo) os projetos globais, são todos tirados dos cofres publicos. Ou seja, a Rede Globo come, e eu e voce, contribuintes brasileiros, pagamos a conta. E ai, quem que é o ladrão da história???

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.681 outros seguidores