‘Nó milagroso’ em tronco de árvore atrai fiéis católicos nos EUA

Enquanto multidão reza diante de suposta imagem de santa no Estado de Nova Jersey, outros criticam ‘adoração do diabo’
Dante Domenech segurava sua Bíblia com firmeza enquanto gritava para uma multidão em uma manhã de domingo em West New York, no Estado americano de Nova Jersey. As pessoas, ajoelhadas, faziam o sinal da cruz e choravam diante da base de uma árvore de Ginkgo Biloba, em cujo tronco havia um nó com um estranho formato. Elas acreditavam se tratar de uma imagem da Virgem Maria.
“Isto é feitiçaria, vocês estão adorando demônios!” berrou Domenech, 50, de Bergen, Nova Jersey.
Essa observação fez com que Maria Cole, que estava entre as dezenas de pessoas que foram rezar e deixar flores e velas ao redor da árvore, retrucasse: “Não queremos a presença do Satanás”, gritou Cole, 57, em espanhol.
Ao mesmo tempo, uma senhora de 90 anos de idade usou uma rosa branca de haste longa para bater na cabeça e nos ombros de Domenech. Três agentes da polícia pediram que ele se retirasse.
No local onde alguns acreditam ter acontecido um milagre, as orações dos fiéis e os gritos dos céticos têm se tornado cada vez mais constantes, à medida que a notícia do descobrimento deste distinto nó se espalhou desde sua descoberta este mês.
O prefeito Felix Roque disse que o governo local está gastando cerca de US$ 1 mil por dia com policiamento para evitar que a árvore seja vandalizada, neutralizar os confrontos e fazer com que o tráfego flua na movimentada Avenida Bergenline, entre as ruas 60 e 61.
Aqueles que se reuniram ao redor da árvore no domingo, dia 22 de julho, disseram que sua paixão pelo nó, que se encontra na altura de 1m20 do tronco, vem de sua semelhança com a Nossa Senhora de Guadalupe.
“Isso acabou unindo todas as comunidades hispânicas”, disse Roque enquanto visitava a árvore na manhã de domingo.
Os sacerdotes da Arquidiocese de Newark examinaram a árvore e determinaram que o nó era uma ocorrência natural, disse um porta-voz da arquidiocese, James Goodness.
“Estamos esperançosos de que, mesmo que este seja apenas um nó em uma árvore, o evento estimule as pessoas a olhar para dentro de si mesmas para encontrar uma compreensão mais profunda de sua fé”, disse.
Com toda a comoção, Roque propôs que a árvore de 6 metros de altura com folhas em forma de hélice seja transplantada para um parque nas proximidades.
Como resposta a essa ideia, os membros de grupo de vigília permanente ao redor da árvore disseram ter reunido 5 mil assinaturas em uma petição exigindo que a árvore fique onde está. Roque disse que irá indicar uma comissão esta semana para discutir como proceder com a questão.
A respeito dessas coisas a Bíblia é categorica:
Metade da madeira, ele a queima no fogo; sobre ela ele prepara sua refeição, assa a carne e come sua porção. Ele também se aquece e diz: “Ah! Estou aquecido; estou vendo o fogo”.
Do restante ele faz um deus, seu ídolo; inclina-se diante dele e o adora. Ora a ele e diz: “Salva-me; tu és meu deus”.
Eles nada sabem, nada entendem; seus olhos estão tapados, não conseguem ver, e suas mentes estão fechadas, não conseguem entender.
Ninguém pára para pensar, ninguém tem o conhecimento ou o entendimento para dizer: “Metade dela usei como combustível; até mesmo assei pão sobre suas brasas, assei carne e comi. Faria eu algo repugnante com o que sobrou? Iria eu ajoelhar-me diante de um pedaço de madeira? “
(Isaías 44:16-19)
Acho que dispensa comentários.

Sem mais,
BLOG UNIVERSO UNIVERSAL.
www.UniversoUniversal.wordpress.com

BRASIL: Um país de Evangélicos

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmou: o País tem cada vez mais evangélicos. Segundo levantamento do Censo de 2010, a porcentagem de fiéis subiu de 15,4% para 22,2% em 10 anos. Para ser mais específico: dos 190,7 milhões de brasileiros entrevistados pela pesquisa, 42,3 milhões se disseram seguidores da doutrina.

O aumento não é um fenômeno recente. Em 1981, os evangélicos representavam 6,6% dos brasileiros e, em 1991, 9%. Ou seja, em 3 décadas, a parcela dos que seguem a crença mais do que triplicou. “Os evangélicos foram o segmento religioso que mais cresceu no Brasil no período intercensitário”, reconhece o estudo. E a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) tem grande responsabilidade nesse crescimento, com 35 anos, recém-cumpridos, de muito trabalho e dedicação.

Ao mesmo tempo, os católicos perderam espaço. Se em 2000 detinham 73,6% da população, 10 anos mais tarde registraram 64,6%. Queda ainda mais significativa se comparada também com o ano de 1981, quando eram em absoluta maioria: 89,9%. Redução que “ocorreu em todas as [cinco] regiões” do País, lembra o texto do IBGE.

Durante 3 décadas, muitos trocaram de religião. Dentre as várias explicações para isso, o teólogo Rubens Teixeira arrisca uma simples: “Eles são encorajados a pregar para as outras pessoas e, por conta disso, o número de evangélicos só vai subir”, disse em entrevista ao “Jornal da Record”.

Foi assim que aconteceu com a família Santana. Sérgio e seus pais eram católicos praticantes. O pai perdeu o emprego e começou a ter problemas com a bebida. A mãe sofreu a “ponto de buscar ajuda em outras religiões”. Recebeu convites para ir à Igreja Universal, mas não cedia. “Um certo dia, resolveu tirar as próprias conclusões, foi à Igreja e de lá nunca mais saiu”, disse Sérgio. Já são 21 anos de conversão.

A expectativa é que, até 2040, católicos e evangélicos dividam a maioria da preferência dos brasileiros. Isso porque os evangélicos têm uma forte base jovem, com 15,4 milhões de pessoas até 20 anos, cerca de 36,4% do seu grupo – contra 31,9% dos católicos. Por outro lado, 16% dos católicos são idosos, contra uma parcela de 8% entre os evangélicos.

Cristianofobia: Cartaz de Parada Gay traz foto de catedral e irrita Igreja Católica do Paraná

Cartaz extraoficial usado na divulgação da Parada Gay de Maringá (PR); Igreja não gostou da exposição


Um cartaz de divulgação da Parada Gay de Maringá (436 km de Curitiba) provocou indignação na Igreja Católica por estampar a foto da Basílica Nossa Senhora da Glória refletindo a explosão de um facho de luz com as cores do arco-íris. A Igreja quer a retirada do cartaz das redes sociais e de sites que defendem a causa gay.

O editor do site “Maringay”, Luiz Modesto, 31, disse que o cartaz é extraoficial e foi desenvolvido pela artista plástica Elisa Riemer, inspirado na capa do álbum “The Dark Side of the Moon”, da banda britânica Pink Floyd.

“Foi um cartaz simpático, com o símbolo de Maringá. Em qualquer lugar usa-se o símbolo da cidade para vender o peixe”, afirma.

Ele diz que outras leituras podem ser feitas, como o facho de luz que aponta de baixo para cima e depois explode no alto, representando a diversidade de Maringá.

O arcebispo dom Anuar Battisti disse à Folha que a catedral não é apenas um símbolo de Maringá, mas também da fé da maioria dos moradores da cidade. “Respeitamos a diversidade, mesmo às vezes não concordando com o modelo de comportamento”, afirma o religioso.

Luiz Modesto, que diz ter recebido um convite para tomar café com o arcebispo nesta terça-feira (17), afirma que a Igreja terá que apresentar bons argumentos para a retirada do cartaz. “Se ele me convencer que eu ofendi a Igreja, eu retiro”, afirma.

Em nota, a Arquidiocese de Maringá disse que “a Igreja Católica não tem a pretensão de domesticar a sociedade, impondo-lhe seus princípios e valores”, mas que o cartaz “confrontou opinião religiosa da parcela maior da comunidade maringaense”.

Fonte: Folha

Moisés, a Serpente de Metal no Deserto e a Idolatria

Queridos leitores, tenho recebido aqui no Blog Universo Universal, muitas perguntas acerca da serpente de bronze que Moisés construiu no deserto por ordem de Deus. A dúvida é:
Por que Deus pediu para Moisés fazer uma serpente de metal, se Ele mesmo ordenou que imagem alguma fosse feita e levantada (Êxodo 20:4)?

Este episódio é usado por muitos que defendem suas práticas de idolatria, para justificar suas imagens de escultura, amuletos, cristais e deuses. Dedicam a eles as curas algo impossível que lhes aconteceram, dinheiro, sucesso dizem que foi por causa deles. A resposta é bem simples, quando Deus pediu que Moisés fizesse aquela serpente de metal era que o povo havia se corrompido, tinha feito rebelião contra Moisés, tinha se distanciado dos mandamentos, veio então as serpentes e começou a haverem baixas no povo de Israel. Aquela serpente servia como advertência, para que fosse curado e ao mesmo tempo não voltassem a praticar as mesmas obras de outrora, e como premio bastava olhar e eram salvo daquele veneno. Números (21;8-9).
A simbologia do Antigo Testamento
Como sabemos as simbologias do Antigo Testamento apontam para Jesus Cristo, desde a Arca da Aliança, as cores do Tabernáculo, e o cordeiro da Páscoa… tudo isso são simbolos que representam o Senhor Jesus Cristo.
Os símbolos e figuras são tipos por que têm um antítipo, ou seja, um cumprimento. Uma vez que o tipo se cumpra no seu antítipo, cessa a sua utilidade. Por exemplo, a serpente de bronze tem cumprimento como tipo no seu antítipo, ou seja, Jesus na cruz (Jo 3.14). Tudo no Tabernáculo é símbolo, e o antítipo é Cristo. Outro exemplo Cristo era o antítipo do cordeiro da Páscoa, porque o Cordeiro da Páscoa representava Cristo. E não era idolatria ao cordeiro estar representando Jesus, primeiro porque Deus tinha ordenado o tal ritual na Páscoa, segundo que o povo não estava com a Fé no animal em si, mas em Deus.
A serpente no Deserto também sibolizava Jesus. Vou explicar. Veja o que Jesus disse:
“Assim como Moisés levantou a serpente no deserto, da mesma forma importa que o Filho do homem seja levantado…” (João 3: 14)

Quanto à forma, Jesus haveria de ser levantado da terra dando da sua morte da mesma maneira que a serpente de metal foi erguida por Moisés no deserto.

Quanto à importância, a serpente de metal ‘trouxe’ vida àqueles que foram picados pelas serpentes (aos condenados à morte), e Cristo, trouxe vida ao mundo que “jaz”, ou seja, que está morto no pecado.

A passagem de Números 21: 4- 9 relata que o povo de Israel ficou impaciente enquanto caminhavam pelo deserto e passaram a maldizer: “Por que nos fizestes subir do Egito, para que morrêssemos neste deserto? Pois aqui nem pão nem água há; e a nossa alma tem fastio deste pão tão vil” (Números 21: 5).

Diante da murmuração (pecado), Deus enviou serpentes ardentes e estas mordiam o povo, e ao sentirem que estavam amaldiçoados, foram até Moisés e disseram: “Havemos pecado, porquanto temos falado contra o Senhor e contra ti” (arrependimento).

Então disse o Senhor a Moisés: “Faze uma serpente ardente, e põe na sobre uma haste, e será que viverá todo o mordido que olhar para ela”. Foi quando Moisés fez a serpente de metal, e colocou em uma haste, e “mordendo alguma serpente a alguém, olhava para a serpente de metal, e ficava vivo”.

a) a praga das serpentes foi conseqüência direta do pecado do povo;

  b)  a salvação para os picados pelas serpentes estava na palavra de Deus anunciada por Moisés;

c)  a serpente de metal foi erguida por ordem divina;

d)   bastava um olhar para que o favor de Deus fosse alcançado.

A palavra de Deus foi: “E será que viverá todo o mordido que olhar para ela”, e Moisés anunciou ao povo o que Deus disse. Observe a universalidade da mensagem (todo o mordido) e a necessidade dos ouvintes de Israel (não morrerá). Da mesma forma que os picados pelas serpentes estavam condenados à morte, toda a humanidade também está condenada à morte em Adão.

A mensagem, a que Moisés foi comissionado a transmitir, não excluía nenhum dos picados pelas serpentes. Todos sem exceção que olhassem para a serpente de metal haveriam de alcançar uma nova oportunidade de vida. A oferta de salvação a humanidade também não é diferente: todos, sem exceção, são alvos da graça de Deus.

Os ouvintes de Moisés necessitavam da cura e nada lhes foi exigido. Bastava um simples olhar em direção à serpente de metal e haveria de ter uma ‘nova’ vida. Esta mesma oferta é feita a humanidade: precisam olhar para quem prometeu a nova vida, pois a garantia de nova vida esta em quem é Fiel, se qualquer exigência ou obras a serem realizadas por parte dos agraciados.

Assim como o povo de Israel foi salvo da morte pela serpente, somos salvos da morte espiritual por Jesus Cristo. Jesus é o soro antiofídico que precisamos para sermos livres do veneno do pecado.
.
.
Estava tudo bem, até chegar a Idolatria…
Uma coisa é Deus mandar fazer uma “imagem”, e outra é fazer sem autorização de Deus e ainda adorá-la, fazerem nações interias, prostrarem, adorarem, carregarem em seus ombros em procissões.
Você já ouviu falar da imagem Neustã? Pois bem falarei quem foi, Neustã. Foi um ídolo de metal colocado em uma haste, e o povo de Israel se corrompeu e queimou incenso e prestou culto a esta imagem, mas observe um detalhe sabe quem ordenou que ela fosse feita? Deus! – Mas, espera aí irmão- pergunta você – como Deus faria isto? Sabia! muitos foram os curados quando parava na frente de Neustã. Que complicação não é mesmo? Mas não há nada de complicado pois continuo falando da mesma serpente, aquela que foi levantada por Moisés. Mas foi preciso o Rei Ezequias destruí-la do meio do povo, pois eles estavam queimando incenso, e desviando toda adoração que era de Deus e depositando naquela serpente. (2 Reis 18:4) – O Rei Ezequias tirou os altos, quebrou as estátuas, deitou abaixo os bosques, e fez em pedaços a serpente de metal que Moisés fizera; porquanto até àquele dia os filhos de Israel lhe queimavam incenso, e lhe chamaram Neustã.
Porque Deus mandou Moisés fazer? E agora o Rei Ezequias usado por Deus, quebra fazendo em pedacinhos? Como falei Deus permitiu como advertência, não como adoração, na realidade quem realizava o milagre não era a serpente Neustã e sim o próprio Deus que funcionava como soro antiofílico, neutralizando o veneno dos que eram picados pelas serpentes.
Este é o perigo das imagens, amuletos, cristais pois eles em si nada podem fazer são obras feitas por mão humanas, não podemos tê-los para não desviar a nossa confiança em nosso Deus. E o povo de Israel guardava aquela serpente como amuleto e transformaram em um ídolo. Nada pode desviar a nossa adoração ao Senhor Jesus, mas observe um detalhe, idólatra não é apenas aquele que se prostra diante a uma imagem e presta culto a ela. Idólatria é toda devoção em outras atividades ou objetos que desviam a sua atenção de Deus. Fazendo você esquecer de coloca-Lo em primeiro lugar em sua vida.
O que tem roubado o seu tempo de devoção ao seu Deus? Tem sido o seu trabalho, como Neustã? Seu carro? A televisão? O dinheiro?
Não é pecado ter carro importado, um bom emprego, televisor, dinheiro, o problema é a devoção a primazia que tem que ser de Deus ou seja Ele tem que estar em primeiro lugar em nossas vidas, em nossa mente. Quando colocamos Ele sobre todas as coisas, o nosso carro, o nosso trabalho, as demais coisas viram benção em nossa vida.
Que Deus possa ter o primeiro lugar na sua vida, sendo o Senhor de todas as coisas.
“Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6:33)

Os sinais do Batismo no Espírito Santo

E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios. (Atos 10.44 e 45)

Muitas pessoas dizem que já provaram do Batismo no Espírito Santo. Mas será que vemos diferença em nossas vidas ocasionadas pelo Batismo no Espírito Santo? O Espírito Santo é Deus!

Ser batizado no Espírito Santo significa ser totalmente imerso ou mergulhado em sua Pessoa Divina, de modo dependente e submisso à Sua vontade. Portanto, uma vida que compactua com o pecado, e que não glorifica a Cristo em sua essência, atitudes e modo de ser não evidencia o Batismo no Espírito Santo.

Por isso a Escritura adverte:

” Provai os espíritos…” ( I João 4.1)
” Examinai tudo. Retende o bem” ( I Ts 5.21)

Aquele que realmente é batizado no Espírito Santo manifestará o amor de Deus, produzirá seu fruto e receberá os seus dons segundo a Sua vontade para servir e glorificar a Cristo, em novidade de vida.

Algumas evidências do Batismo no Espírito Santo:

1) O Batismo no Espírito Santo nos leva a glorificar a Deus mais do que antes. ( I João 16.13-15)

” O Espírito Santo nos guiará a toda a verdade, glorificará a Jesus e anunciará as obras de Jesus e do Pai”.

2) Aumentará nossa convicção de filhos de Deus.

Romanos 8.16 – “testificará a nossa filiação”
João 14. 16-23 – “estará sempre conosco e em nós”

3) Aumentará o nosso amor pelas Escrituras.

João 16.13 – “Ele vos guiará a toda verdade”

4) Aprofundará o nosso amor pelos irmãos.

Atos 2. 44-46 – “Estavam unidos e tinham tudo em comum”
Atos 4.32 – “era um só coração e uma só alma”

5) Nossa vida será marcada pela santidade.

Atos 2.38-40 – “Arrependei-vos…”

6) Aumentará nosso repúdio pelo pecado.

Romanos 16.19-20 – “Sede sábios para o bem e simples para o mal”
Romanos 12.9-11 – “Detestai o mal, apegai-vos ao bem e as virtudes da vida cristã”
I Coríntios 2.12 – “Recebemos o Espírito de Deus para que conheçamos o que por Deus nos foi dado”

7) Aumentará nosso desejo de testemunhar.

Atos 2.18 e 40 – “Falaremos com ousadia a respeito da salvação”

8) Despertará em nós o desejo de buscar os dons do Espírito Santo, para abençoar outros.

I Coríntios 12. 7-11 e o 31 – “”Nos estimulam a buscarmos os dons para que o Corpo de Cristo seja edificado”

Os pontos destacados acima evidenciam uma vida batizada no Espírito Santo, e comprometida com o Senhor, e na edificação e expansão do Seu Reino.
Se desejamos o Batismo no Espírito Santo, devemos buscá-lo, sem receio, pois o Senhor deseja que sejamos cheios e transbordantes da sua presença, e fazer de nós instrumentos úteis em suas mãos.

Conforme nos declara Pedro em Atos 2.33 e 39:

“De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis”.

“Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar”.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.644 outros seguidores