O escárnio gospel da Irmã Zuleide e o erotismo gay da ‘evangélica’ Cleycianne

Alguns sites, blogs e perfis ‘cristãos’ nas redes sociais tem chamado a atenção de muita gente, tanto pela quantidade de seguidores, como pelas mensagens reproduzidas. Mesclando assuntos cristãos com teores perniciosos, ora sutis, ora explícitos, os ‘humoristas da fé’ vão ganhando espaço na Web dia após dia.

Faço primeiramente aqui, dentre outros, o destaque a um perfil na rede social Twitter denominado @Irma_Zuleide (foto). Perfil este que na verdade trata-se de uma personagem criada cujo objetivo-fim é satirizar os evangélicos.

Por suas frases ‘cristãs’ irreverentes, o ‘fake’ tem atraído para si uma legião de seguidores e admiradores.

A @Irma_Zuleide conta atualmente com mais de 230 mil seguidores no Twitter e sua página no Facebook ultrapassa os 530 Mil admiradores.

Não é possível, por enquanto, saber quem está por trás do perfil humorístico, todavia, pelas frases e jargões escritos, certamente trata-se de alguém que conhece bastante o meio evangélico.

Em tom de piada, a ‘evangélica’ tem imiscuído frases aparentemente sensatas com outras de interpretação dúbia, inclusive com teor pornográfico, além de visíveis mentiras.

Dentre as milhares de piadas escritas pela @Irma_Zuleide, abaixo estão algumas (por respeito aos leitores não estão postadas frases explicitamente pornográficas).

“Na entrevista de emprego a moça perguntou se eu sabia outras línguas, eu disse que sabia orar em línguas, não entendi pq fui desclassificada”.

“Jesus nunca teve dengue, todos os mosquitos morriam porque o sangue de Jesus tem poder’. 

“A justiça de Deus é mais justa do que calça de piriguete!”

“Eu odeio Funk porque ele te faz abrir as pernas, o gospel te faz abrir o coração!”

“Dançando forró gospel na cara de satanás! Aleluia!”

“Tava no supermercado e o caixa preferencial achou que eu tava grávida, é satanás querendo que eu pareça prenha. Tá amarrado!”

#Capricórnio Hoje você foi afetado por uma macumba, esse sono não é normal. Procure orar pra se libertar dessa mandinga”.

Outra personagem que também chama bastante a atenção é a ‘blogueira evangélica’ @Cleycianne, uma ‘ex-prostituta’ que conta em detalhes como era sua vida pregressa e como se deu sua ‘conversão’. Ela usa e abusa de termos eróticos e pornográficos em seu ‘testemunho’.

O blog da Cleycianne, que é administrado por um cidadão que mora em São Paulo, aborda de maneira zombeteira alguns assuntos com viés cristão, e por vezes, com pesado enfoque erótico ou homossexual. Talvez isto explique o motivo do blog receber inúmeras visitas do segmento gay. Tal constatação é fruto de observações feitas nos comentários postados pelos internautas nos artigos do blog.

A imagem usada pelo administrador do blog é da Miss Califórnia 2007, Melissa Chaty.

Em seu perfil no Twitter @Cleycianne conta com mais de 112 mil seguidores. Aproximadamente 44 mil pessoas curtem sua página no Facebook.

Certa vez o dono do blog disse que se ‘acaba de rir’ devido aos muitos comentários escritos por internautas que acreditam piamente que Cleycianne realmente exista. Faz questão de externar sua zombaria à ‘crentaiada‘ desavisada.

O achincalhe é crescente. Até o abençoado hino ‘Galhos Secos’ deixou de ser louvor a Deus para agora fazer parte dessa onda vilipendiosa.  O louvor, quando entoado a partir de agora, fará muitos lembrar da dupla de irmãos que ficou famosa pela brincadeira, do que atribuir a Deus o verdadeiro louvor.  Triste!

Em um recente relatório divulgado pelo IBGE foi mostrado  que o número de evangélicos no Brasil teve um crescimento substancial nos últimos anos. Com tal avanço agregou-se também algumas espécies de males, dentre os quais os humoristas ‘cristãos’, sem bem que muitos destes não professam a fé em Cristo.

O Onisciente Deus deixa-nos vários alertas sobre os espíritos escarnecedores. É dever nosso obedecermos.

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. Salmo 1.1

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”. Filipenses 4.8-9

“Mas a prostituição, e toda a impureza ou avareza, nem ainda se nomeie entre vós, como convém a santos; nem torpezas, nem parvoíces (conversas tolas), nem chocarrices, que não convêm; mas antes, ações de graças.” Efésios 5.3-4

Ao joio que está junto e misturado com o trigo, a sentença virá:

“Pois assim como o joio é ajuntado e queimado no fogo, assim será no fim do mundo”. Mateus 13.40

Vigiemos!

 

Por 

Barack Obama apoia ‘Casamento Gay’ e usa profanamente o nome de Jesus

Finalmente, Obama confessa que é a favor do “casamento” gay. “Acabo de concluir que para mim pessoalmente, é importante ir em frente e afirmar que penso que as duplas de mesmo sexo têm o direito de se casar”, Obama disse nesta tarde numa entrevista para Robin Roberts, jornalista da ABC News.

Ninguém ficou surpreso com a declaração de Obama, pois seu governo, desde o início, vem promovendo e impondo a agenda gay com agressividade fenomenal. Em dezembro do ano passado, seu governo ordenou que todas as embaixadas e órgãos dos EUA no exterior fizessem da agenda gay prioridade absoluta. Essencialmente, o decreto de Obama transforma os EUA em uma poderosa agência policial mundial a favor do homossexualismo.
Obama acha mais seguro usar Jesus, não Maomé, para apoiar “casamento” gay

Obama acha mais seguro usar Jesus, não Maomé, para apoiar “casamento” gay

Antes de chegar à presidência, Obama era um senador esquerdista que apoiava publicamente o “casamento” gay. Mas desde a primeira eleição presidencial, ele tem se mantido em discrição e “silêncio”, dando a entender que mudou de ideia, embora suas ações descaradamente pró-homossexualismo deixassem claro que sua “mudança” era só de lábios.
O que parece ter arrancado Obama do armário da incoerência entre seus lábios e ações foi a vitória que o povo da Carolina do Norte obteve recentemente contra os supremacistas gays. Esquerdistas de peso como o ex-presidente Bill Clinton entraram na votação do estado americano que estava decidindo proibir ou não o “casamento” gay, a união civil gay e todo tipo de parceria gay.
Billy Graham, o maior evangelista do mundo, entrou na briga, e saíram perdendo Bill Clinton e todos os supremacistas gays. Diante do quadro lúgubre para os extremistas, Obama, num momento de muita emoção e revolta contra a derrota decisiva na Carolina do Norte, não se conteve e saiu do armário, determinado a mostrar para o público americano e mundial que o “casamento” gay é certo e que Billy Graham e o povo da Carolina do Norte estão errados.
Contudo, ele não deixou transparecer tal motivação. O que ele apontou como motivação foi sua “fé”, usando como exemplo a declaração onde Jesus diz que devemos tratar os outros como gostaríamos de ser tratados. Ele disse: “Pensamos acerca da nossa fé, que está na raiz de nossas convicções, não só de Cristo se sacrificando em nosso favor, mas também de nos amarmos uns aos outros”.
Mencionar Jesus hoje para apoiar qualquer ideia ou prática perversa não traz consequências. Mas Obama, o grande defensor do islamismo como “religião de paz”, jamais ousaria dizer que a base para seu apoio ao “casamento” gay é Maomé. O mundo islâmico inteiro se levantaria em brados e bombas.
Entretanto, ofender os cristãos, ou insultando Cristo ou usando o nome dEle profanamente para promover ideias e práticas contra a natureza dEle, é conduta normal de esquerdistas.
No passado, os homens que viviam em aberrações confessavam que a base de seus atos era Satã ou Satanás. Mas hoje, homens desse tipo perderam a vergonha, usando e abusando do nome de Jesus em defesa de suas pérfidas escolhas. Só não ousam usar e abusar do nome de Maomé ou do Corão com o mesmo objetivo.
Com sua confissão em reação à derrota esquerdista na Carolina do Norte, Obama se torna o primeiro presidente dos Estados Unidos a declarar apoio público ao “casamento” gay.

Bispos da Igreja Universal podem ser presos por falar do Homossexualismo?

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) entrou com pedido no Ministério Público de São Paulo para investigação de exorcismo realizado pelo Bispo Edir Macedo e outros 2 bispos na IURDTV. O movimento gay afirma  que a homossexualidade não pode ser tratada como uma doença. Desde 1990, ela não consta mais da Classificação Internacional de Doenças, da Organização Mundial da Saúde.

A Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) afirma que as imagens seriam provas de “charlatanismo”. Segundo o artigo 283 do Código Penal, esse crime pode resultar na prisão dos envolvidos por até dois anos.

No vídeo em questão, um jovem homossexual é liberto durante um programa da IURD TV.

Neste programa, o bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, fala que o jovem identificado apenas como Leandro passaria por um processo de “libertação”.

O bispo Clodomir Santos é chamado, ora no rapaz, que manifesta com demônios. O Bispo Clodomir conversa com o demônio e o expulsa depois de saber que o jovem se tornou gay por ser vítima de um “trabalho de macumba” de um vizinho contra ele.

O demônio contorce o corpo do jovem, e grita e se ajoelha no chão enquanto os bispos começam a “mandar Fogo de Deus sobre os demônio” e então os demônio  são expulsos. O jovem volta ao seu estado normal e diz que se sente muito  melhor.

O Ministério Público ainda não se manifestou a respeito. Não é a primeira vez que Toni Reis, presidente da ABGLT, entra em rota de colisão com os evangélicos.

Reis e sua associação já reivindicaram no ano passado punições às emissoras que levem ao ar declarações que vão contra seus ideais. Sua solicitação ao Ministério das Comunicações é que se iniba em especial os programas religiosos transmitidos em rede aberta.

Além dos pastores evangélicos, em especial o Pastor Silas Malafaia, que moveu um processo contra Toni Reis, o deputado católico Jair Bolsonaro também já foi atacado pela ABGLT.

O curioso desta história é que a ABGLT pode chamar os bispos da Igreja Universal de charlatões, e os bispos não podem pregar o que a Bíblia diz sobre homossexualismo.

Nem parece que vivemos num país democrático. E a liberdade de expressão? E a liberdade de culto e credo garantida na constituição?

A prática de libertação, conhecidas popularmente como “exorcismos”, foi algo ensinado pelo próprio Senhor Jesus Cristo (Lucas 10:17 , Marcos 16:17)

Os bispos da Universal não disseram nada sobre o homossexualismo diferente do que a Bíblia já dizia a milhares de anos:

“Não erreis: nem impuros… nem adúlteros, nem EFEMINADOS, nem SODOMITAS herdarão o reino de Deus” (I Coríntios 6:9-10). Nota: Sodomita, o que pratica a sodomia: cópula anal, entre homem e mulher ou entre homossexuais masculinos.

“Se um homem se deitar com outro homem, como se fosse com mulher, ambos terão praticado abominação” (Levítico 20.13)

“E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha a seu erro.” (Romano 1: 27)

Com o “BOOOMM” do movimento homossexual, todo mundo que discorda das ideologias do Movimento é taxado de homofóbico. Qualquer atitude vira homofobia. As pessoas nas ruas ficam até receosas de dizer suas opiniões pessoais sobre o homossexualismo, pois sabem que serão taxadas de conservadoras e homofóbicas. Pastores estão cada vez mais, com medo de pregar a verdade biblica sobre o homossexualismo.

O Bispo Edir Macedo em momento nenhum trata o homossexualismo como uma doença, assim como nenhuma igreja cristã o faz. Nenhum cristão trata homossexualismo como doença, mas sim como um pecado (desobediência a palavra de Deus).

O bispo Macedo fala de Libertação, não de cura. Segundo a Bíblia, todos os homens pecaram, e por isso precisam ser libertos do julgo do pecado e do diabo. O diabo está presente onde está o pecado, e Deus está onde está a pureza e luz.

Doença não é uma coisa opcional, ninguém escolhe ficar doente, mas a pessoa escolhe sua opção sexual. Uma questão de escolha. Não existe genes que façam a pessoa nascer homossexual, existem apenas cromossomos XX e XY (desconsideramos as mutações genéticas),  não existe cromossomo homossexual, portanto é puramente uma questão de escolha. Por isso jamais deve-se considerar o homossexualismo como doença.

Alguns escolhem seguir a Deus e a Sua Palavra, outros escolhem desobedecer… O mundo é movido pelas escolhas dos homens. Cada escolha da vida, trás consigo consequências.
E ai, qual a sua escolha?

Veja o video:

Fez DEUS homem e mulher… e viu que isto era bom!

Bispo Clodomir expulsa demônio causador do Homossexualismo na IURDTV

Imagens exibidas em: IURDTV.COM

Este filme necessita de Adobe Flash para ser reproduzido.

Senador Marcelo Crivella lamenta ativismo judiciário na questão do casamento homossexual

Em discurso no Plenário nesta segunda-feira (24), o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) lamentou o que chamou de “ativismo judiciário”, citando como exemplo a votação em que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) poderá reconhecer o direito de pessoas do mesmo sexo ao casamento. Ele disse que o assunto é preocupante.

Crivella lembrou que o Supremo Tribunal Federal (STF) já considerou que os direitos decorrentes da união estável valem para pessoas do mesmo sexo e pediu bom senso ao STJ para que se lembre dos limites impostos pelo entendimento do STF. Para Crivella, quando as leis não são elaboradas no Congresso, costumam trazer fortes efeitos colaterais.

- Esse ativismo judiciário faz bem ao Brasil? – questionou.

De acordo com o senador, os juízes e os promotores são treinados para olhar para trás, já que na análise de um processo precisam estudar o que antecedeu determinado ato. Os políticos, na visão do senador, têm de olhar para frente, “até mesmo pensando na próxima eleição”.

O senador também usou como exemplo a questão da fidelidade partidária, lembrando que o STF afirmou que o mandato pertence ao partido e não ao político eleito, para impedir as trocas de partido entre parlamentares. No entanto, acrescentou, mais de 50 fizeram exatamente isso com a recente criação do Partido Social Democrático (PSD).

Segundo o senador, a criação do PSD é fruto de uma a decisão “equivocada” do STF, de pessoas que não estavam preparadas para legislar e não receberam mandato do povo brasileiro.

- O partido deveria se chamar PDS: Partido do Supremo – disse o senador.

Segundo Marcelo Crivella, os tribunais sempre trazem problemas quando legislam. O senador disse que os políticos estão mais preparados para o papel de legislar porque ouvem a voz do povo, com debates, reuniões e audiências públicas.

- Montesquieu dizia que o Judiciário é um poder sem voz. E ele estava errado – lamentou o senador.
Para o parlamentar fluminense, o Congresso não consegue encontrar democraticamente uma forma para aqueles que querem casamento entre pessoas do mesmo sexo, porque há o debate entre católicos, evangélicos e pessoas dos mais diversos matizes.

Segundo o senador, as decisões do STJ e do STF lembram a Justiça inglesa, que vem dos costumes. Para Crivella, uma união estável é algo concreto e não pode ser negada pelo Judiciário. No entanto, Crivella afirmou que um casamento é diferente, porque é o começo e não o fim e também é capaz de gerar filhos. O senador ainda disse que a decisão do STJ pode contrariar a formação cristã do Brasil e comparou a família à trindade divina.

- Deus é família. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo. A família é homem, mulher e seus filhos – concluiu.

Da Redação / Agência Senado
Fonte: MarceloCrivella.com.br

IGREJA NÃO É MUSEU DE SANTOS, MAS HOSPITAL PARA PECADORES!

“E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento.”
(Marcos 2:17)

Governo do Rio de Janeiro convida umbandista para benzer a parada gay de Copacabana

Depois de contratar com dinheiro público um pai de santo para impedir as chuvas no Rio de Janeiro, a coluna do jornalista Ancelmo Goes, do jornal O Globo, publicou que o Governo do Estado do Rio de Janeiro convidou a mãe Beata de Iemanjá e seus filhos de santo para benzerem a parada LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros).

A religiosa ficará em cima do trio elétrico que representa a liberdade religiosa. Antes, passará um defumador no local, informou Goes.

A 16ª Parada LGBT de Copacabana será realizada no dia 09/out, domingo.

COMENTÁRIO:
Os governos do estado e município do Rio são os maiores incentivadores da agenda gay no Brasil.

Tratam os gays, fazendo políticas públicas para os mesmos, como se aqueles que estão na condição homossexual fossem cidadãos de primeira categoria.

O mais perturbador de tudo é saber que o então senador Cabral foi eleito governador do Rio com apoio quase esmagador das lideranças cristãs do Rio de Janeiro, muitos dos quais já sabiam de seu grande engajamento em favor da agenda gay.

Ano quem vem (2012) é ano eleitoral e o candidato de Cabral, o prefeito Eduardo Paes, certamente tentará à reeleição. Seguindo a linha de Cabral, Paes tem se destacado como um grande incentivador da agenda gay.

Podemos citar o grande apoio que Paes receberá de líderes evangélicos para sua reeleição e isto já tem sido divulgado, com certa timidez, por parte da imprensa.

POVO DE DEUS, NÃO VOTEM NAQUELES QUE LUTAM CONTRA O EVANGELHO E CONTRA A FAMILIA BRASILEIRA!!!

Com informacoes de: Holofote.net

O exemplo dos negros de Nova York em relação ao “casamento” Gay

Como se comportam os negros americanos face ao “casamento” homossexual?

Uma atualização de quadro a respeito do comportamento dos negros em Nova York é muito útil e necessária para quem se interessa vivamente pelo futuro da família.

Foi-se o tempo em que a mídia das décadas de 1950 e 1960 procurava mostrar os negros, nos EUA, como sendo uma força a serviço da revolução ou então da luta de raças.

Recentes campanhas públicas da TFP americana (Tradição, Família e Propriedade) na cidade de Nova York e muito especialmente nos bairros de predominância negra encontrou um apoio muito entusiástico. Pode-se afirmar, sem exagero nem medo de ser contestado, que a esmagadora maioria dos negros – uma porcentagem que passa de 95% – se manifesta contraria ao “casamento” homossexual.

Mais curioso ainda é o que poderíamos chamar do “calor” da reação nos negros novaiorquinos. Fazem questão de manifestar, à campanha da TFP pelo casamento tradicional, o mais vigoroso apoio.

Duas caravanas da TFP, fazendo campanhas públicas em cruzamentos de intenso tráfego, solicitavam aos motoristas: “buzine a favor do casamento tradicional”. Mas não havia apenas insistentes buzinas, muitos gestos entusiásticos demonstravam alegria de verem um movimento lutando contra o “casamento” homossexual.

“Deus criou homem e mulher”…

Em Chicago, numa concentração pela família tradicional, uma oradora negra arrancou os melhores e mais prolongados aplausos da plateia enquanto que um magote de homossexuais e lésbicas protestavam bem próximo de onde ela falava, mas por que eles ficaram especialmente irritados com o discurso?

A razão é que essa ativista tinha se desviado da lei natural na sua primeira juventude. E voltando ao bom caminho, passou a ser uma ativista anti “casamento” homossexual. Ora, esse tipo de mudança, os homossexuais não toleram.

Com aquele charme e ardor próprios aos negros militantes ela acrescentou: “Eu sou negra e o serei ate o fim de minha vida. Eu sou mulher e o serei ate o fim de minha vida. Eu fui uma iludida com o movimento lésbica e hoje sou uma pessoa casada com um homem, segundo a Lei de Deus.”

OBS: Tradição, Família e Propriedade (TFP) é uma organização de católicos norte-americanos preocupados com a crise moral agitando os restos da civilização cristã.

Fonte: IPCO

Senador Marcelo Crivella critica retirada do outdoor com citações bíblicas por decisão do Juiz Aleksander Coronado Braido da Silva

Leia na Íntegra o discurso do senador Marcelo Crivella:
O SR. MARCELO CRIVELLA (Bloco/PRB – RJ. Como Líder. Sem revisão do orador.) – Sr. Presidente Walter Pinheiro, Sr. Senadores, senhores telespectadores da TV Senado, senhores ouvintes da Rádio Senado, senhores e senhoras presentes, eu gostaria, Sr. Presidente, se V. Exª me permitir, de apresentar, aqui, os meus parabéns pela homenagem que foi feita, hoje, a Cora Coralina, essa grande escritora do Estado de Goiás, que nasceu no ano da revolução brasileira, da queda do Império, início da República, e que só publicou seu primeiro livro aos 76 anos de idade, mostrando que o povo brasileiro, mesmo com idade mais avançada, continua tão ilustrado e tão mágico, tão criativo. Quem leu seus livros e seus poemas sabe que não estou aqui exagerando.
Ela completaria 122 anos hoje. Aqui esteve toda sua família. Infelizmente, não pude comparecer, mas gostaria de deixar consignado o mais profundo reconhecimento da sua obra pelo povo do meu Estado, na voz deste obscuro, anônimo Senador.
Mas, Sr. Presidente, o que me traz aqui, hoje, é um brado de cidadania. Acho que esta Casa, que se debruça tanto sobre as questões da corrupção, do desenvolvimento do País, dos processos eleitorais, das nossas controvérsias do dia a dia, não pode deixar passar qualquer ofensa, qualquer ameaça àquilo que já foi estabelecido no pensamento clássico da política pelos gregos; àquilo que foi também dito pelos pensadores do Iluminismo, e todos eles falaram ser o âmago da política a liberdade, a vida, a justiça.
Creio, Sr. Presidente, na democracia, mas creio nela com princípio e substância cristã. Creio na Revolução Francesa e no seu ideário, mas também com origem e substância cristã, pois foi Cristo quem primeiro falou de fraternidade, quando disse que éramos todos irmãos. Ele falou também de liberdade, quando afirmou: “Conhecereis a verdade, e ela vos libertará”. E, certamente, não há liberdade no erro, no engano, na dissimulação, no farisaísmo.
Ele também foi o primeiro a falar sobre igualdade, quando disse que devíamos fazer aos outros aquilo que gostaríamos que os outros fizessem a nós.
Acho que esta Casa não pode se calar quando a liberdade é atingida de maneira tão, eu diria, cruel, como essa decisão que o Exmº Sr. Juiz da 6ª Vara Cível de Ribeirão Preto, Aleksander Coronado Braido da Silva, tomou nos autos da ação civil pública, movida pela Defensoria Pública, quando determinou a retirada de um outdoor contendo citações bíblicas. Sr. Presidente, esse outdoor, colocado por uma igreja chamada Casa da Oração, e que tenho aqui nas minhas mãos, apenas citava três versículos bíblicos, que passo a ler ao Plenário.
O primeiro é do Livro de Levítico, Capítulo 20, Verso 13: “Se também um homem se deitar com outro homem, como se mulher fosse, ambos praticaram abominação…”
Passo a citar, Sr. Presidente, Romanos 26, palavras do Apóstolo Paulo:
Por causa das coisas que estas pessoas fazem, Deus as entregou a paixões vergonhosas. Pois até as mulheres trocam as relações naturais pelas que são contra a natureza. E também os homens deixam as relações naturais com as mulheres e se queimam de paixão uns pelos outros. Homens têm relações vergonhosas uns com os outros e por isso recebem em si mesmos o castigo que merecem por causa dos seus erros. (Romanos 1: 26-27)
E ainda: “Portanto, arrependam-se e voltem para Deus, a fim de que Ele perdoe os pecados de vocês.” (Atos 3:19)
Isso aqui é a Bíblia, isso aqui é a palavra de Deus, isso aqui é o primeiro livro impresso nas prensas de Gutemberg e o livro mais lido nas civilizações ocidentais de origem cristã. Isso não pode ser censurado. Este País iniciou-se com uma missa. Este País começou com princípios cristãos, de família, com a Bíblia aberta nos lares…
O SR. MARCELO CRIVELLA (Bloco/PRB – RJ) – …e nós não podemos abrir mão do fato de que esta palavra seja pregada.
Não estou fazendo nada a mais do que citar a Bíblia. O PLC nº 122 tentou criminalizá-la, mas não conseguiu. A lei não prosperou.
A última decisão do Supremo, que considerava família pessoas do mesmo sexo, também não autorizou a censura da Bíblia, também não autorizou o cerceamento, a expressão do pensamento e a liberdade de religião neste País.
Lamento muito que esse outdoor tenha sido tirado de maneira arrogante, de maneira antidemocrática, ferindo a Constituição brasileira e ainda aplicando no pastor multa de R$10 mil.
Ouço V. Exª com muito prazer.
O SR. ATAÍDES OLIVEIRA (Bloco/PSDB – TO) – Senador Crivella, V. Exª sabe muito bem da minha posição. Eu não tinha conhecimento desse fato e quero dizer a V. Exª e a todo o povo brasileiro que eu me sinto indignado. Acho que a palavra mais correta que consegui encontrar aqui agora foi “indignação”. Um magistrado pedir a retirada de um outdoor dessa natureza… Isso, sim, nós podemos chamar de preconceito, preconceito contra a Igreja, contra a fé das nossas pessoas. Eu estou indignado, meu Senador, extremamente indignado, ouviu?
O SR. MARCELO CRIVELLA (Bloco/PRB – RJ) – Muito obrigado.
Acho que nós devemos, todos, combater a homofobia, mas devemos respeitar aqueles que pensam como pensava Cristo, que confiam, acreditam que a Bíblia seja a palavra de Deus. E eu me coloco entre eles.
E não gostaria que o meu País caminhasse para retirar das praças públicas, dos outdoors, das ruas, das escolas aquilo que, na verdade, é fundamento do ânimo, da alma, do espírito de solidariedade, da esperança que cada brasileiro tem no seu futuro, na fé que tem em Deus para construir o Brasil dos nossos sonhos. A Igreja não fez nenhum outro comentário senão citar a Bíblia. A Bíblia é o que ela é. Se os movimentos homossexuais ou qualquer outro querem respeito devem também respeitar a opinião daqueles que discordam.
Neste País, não podemos permitir que haja cerceamento à expressão do pensamento, à liberdade de opinião e, sobretudo, ao direito daqueles que são cristãos, ou espíritas, ou católicos, ou evangélicos, seja lá o que for, de expressarem livremente sua convicção e de, com recursos próprios, fazerem propagandas como essa.
Acho que chamar a atenção para esse fato é algo importante neste plenário. Não podemos retroceder, não podemos aceitar retrocessos. A decisão do Supremo deve ser respeitada, e acho que as Igrejas respeitaram-na. É o grande Areópago. Ele é a última palavra da nossa Constituição. As nações desenvolvidas e os povos cultos procuram prestigiar o Supremo Tribunal Federal e seus juízes, mesmo quando não concordam com suas decisões ou mesmo quando eles próprios extrapolam, num ativismo judiciário, decidindo coisas que cabiam a esta Casa decidir. E uma das maneiras de esta Casa decidir é não decidindo. Não é possível que onze homens possam expressar a alma e os sentimentos de uma Nação inteira.
Agora, decisões tomadas nos tribunais causam isso. Decisões que não são feitas aqui, no calor das discussões, sob pressão, onde se procura, às vezes, durante anos, encontrar uma solução pacífica para as controvérsias – e é duro e é difícil –, acabam, muitas vezes, tendo extrapolações inconvenientes como a desse magistrado, lamentavelmente mandando tirar de um outdoor, com multa de R$10 mil, citações que estão na Bíblia. Quero saber quem vai me proibir de subir nesta tribuna e dizer o que a Bíblia diz.
Ficam aqui, Sr. Presidente, as minhas palavras de tristeza, de lamento por uma decisão tão infeliz. Acho que cabe reclamação ao Supremo Tribunal Federal, porque sua decisão não era essa. Não foi isso o que os juízes decidiram por unanimidade: cercear a liberdade de religião e a pregação da Bíblia, seja nas Igrejas, seja em outdoor, nas praças do Brasil.
Muito obrigado.
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.643 outros seguidores