Deus provê a Abraão no Monte Moriá

*Este texto é continuação do texto A Prova de Fogo de Abraão.


Abraão, empunhando um cutelo faz o movimento para finalmente sacrificar a Isaque.

Mas nesse instante, lá do céu, o Anjo do SENHOR o chamou, dizendo:
– Abraão! Abraão!

_ Estou aqui – respondeu ele.

O Anjo do Senhor disse:
_ Não machuque o menino e não lhe faça nenhum mal. (Gênesis 22:12)

O patriarca tinha demonstrado amplamente sua fé e obediência e tinha satisfeito plenamente os requisitos de seu Deus.

_ Agora sei que você teme a Deus, pois não me negou o seu filho, o seu único filho.

Deus não desejava a morte de Isaque.

Na realidade, não tinha interesse em nenhuma oferenda que implicasse um sacrifício como esse.

Deus sempre desejou a obediência voluntária de seus servos.

Abraão olhou em volta e surpreendentemente viu um carneiro preso pelos chifres, no meio de uma moita. (Gênesis 22:13)

Ao descobrir o carneiro aceitou como um sinal adicional da providência de Deus.

Abraão não precisou esperar instruções de Deus a respeito do que tinha que fazer com ele.

Pegou o carneiro e o ofereceu como sacrifício em lugar do seu filho.

No versículo 08 Abraão tinha dito que Deus proveria.

Eles não tinham trazido em vão a lenha o fogo e a faca, nem haviam preparado o altar inutilmente.

É por isso que até hoje o povo diz: “Na sua montanha o SENHOR Deus dá o que é preciso.” (Gênesis 22:14)

Lembrando agora suas próprias palavras proféticas dirigidas a Isaque, Abraão chamou o lugar Jehová-jireh, “Deus proverá”.

Foi perto deste morro que os dirigentes judeus, em sua dureza, rejeitaram ao verdadeiro Cordeiro de Deus.
Após o carneiro ter sido oferecido, mais uma vez o Anjo do SENHOR, lá do céu, chamou Abraão e disse:
_ Porque você fez isso e não me negou o seu filho, o seu único filho, eu juro pelo meu próprio nome – diz Deus, o SENHOR – que abençoarei você ricamente.
Esta foi à última revelação divina a Abraão que se tem registro na Bíblia.
Deus aceitou sua lealdade e obediência e reafirmou as promessas feitas com tanta freqüência em ocasiões anteriores.

_ Farei com que os seus descendentes sejam tão numerosos como as estrelas do céu ou os grãos de areia da praia do mar; e eles vencerão os inimigos.

Esta é entre as promessas dadas a Abraão, a única que faz referência aos “inimigos” sobre os quais triunfaria sua descendência.
Provavelmente esta é uma predição de que seus descendentes seriam vitoriosos sobre seus inimigos na futura conquista de Canaã.

_ Por meio dos seus descendentes eu abençoarei todas as nações do mundo, pois você fez o que eu mandei.

Abraão feliz e aliviado como nunca, voltou para o lugar onde estavam os seus empregados, e foram todos juntos para Berseba, onde Abraão ficou morando.

 

Abraão creu na palavra de Deus, e foi obediente ao ponto de provar a todos os que testemunharam suas ações, inclusive nós que lemos a Bíblia, que ele sacrificaria seu filho amado, Isaque, se Deus assim o requeresse.
Abraão foi justificado pela sua fé, mas teve que provar que tinha essa fé.

Existe uma Fonte no deserto, mas existe Sede?

“E vós, com alegria, tirareis águas das fontes da salvação.” (Isaías 12:3)

Imagine-se caminhando há horas num deserto escaldante, quando, de repente, você encontra uma fonte de água, um pedacinho do Paraíso em meio ao calor. Não é difícil imaginar o que você faria, não é?

Com certeza, você correria em direção à fonte, beberia o máximo de água que conseguisse e se banharia, contente em livrar-se da força do sol por alguns instantes.

Deixemos de lado agora essa bela imagem de você se esbaldando em uma fonte de água em meio ao deserto e passemos a falar de outro “deserto” e de outra “fonte de água“.

Falemos de um deserto mais escaldante do que qualquer outro, chamado Vida.

Sim, sua vida pode ter se tornado um deserto.

Um deserto de relacionamentos desgastados.
Um deserto de dúvidas torturantes.
Um deserto de problemas que parecem infinitos.

E, assim como um deserto é cercado de areia por todos os lados, seu deserto também pode estar cercado por algumas coisas.

Cercado de pessoas sem coração.
Cercado de solidão.
Cercado de desespero.

 

A boa notícia, porém, vem da existência de uma “fonte de água” chamada Salvação.

Ao contrário das outras, ela é Infinita.
Ao contrário das outras, seus recursos são Ilimitados.
Ao contrário das outras, ela não possui apenas água.

Da Fonte da Salvação você pode retirar tudo o que precisa…

Baldes cheios com Esperança.
Litros e litros de Alegria.
Doses gigantescas de .

A Fonte da Salvação é um pilar eterno, posto exatamente no meio do Deserto da Vida.

Ela é acessível a todos e funciona 24 horas por dia.

A grande questão de hoje é:

Você tem se utilizado da Fonte da Salvação para vencer o Deserto da Vida?

Além disso, você tem matado a sede da sua Alma, assim como você sacia a sede de seu corpo?

Por que temer, se há tanta Coragem na Fonte?
Por que chorar, se lá há tanta Alegria disponível?
Por que ansiar, se podemos retirar de lá tanta Paz quanto precisarmos?

Jesus não quer ser um balde d’água em nossas vidas, utilizado apenas de vez em quando, com água suficiente apenas para nos molhar.
Jesus deseja ser uma Fonte, utilizada incessantemente, com água ilimitada, mais do que suficiente para nos encharcar.

Beba da Fonte. Procure-a nos seus momentos mais difíceis.

Aos que andam “morrendo de calor” no Deserto da Vida, uma boa notícia: A Fonte está lá!

Vá até ela e derrame-se!

Somente um tolo deixaria escapar uma Fonte tão maravilhosa assim…

Quando a Consciência te impede de ser batizado no Espírito Santo

Paulo disse aos cristãos de Éfeso: Recebestes porventura o Espírito Santo quando crestes? Os samaritanos, após terem crido, receberam-no e foram batizados. Paulo aceitou Cristo na estrada de Damasco, e, três dias depois, foi cheio do Espírito. Portanto, não há dúvida de que o batismo com o Espírito Santo se destina especialmente aos convertidos, isto é, aos que se arrependerem dos seus pecados e aceitarem a Cristo como seu Salvador, conforme pregou Pedro no dia de Pentecostes.

“Disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Véus, nosso Senhor, chamar.” (Atos 2.38,39)

A promessa como vemos, não era apenas para eles e seus filhos, mas para quantos estivessem distantes e a quem o Senhor chamasse.

Surge aqui uma importante pergunta: a pessoa terá, após ser salva, de alcançar certo estágio de santidade ou ter em seu crédito certo número de obras meritórias para estar em condições de receber o Espírito Santo? Alguns supõem que se deva ajustar a certos padrões arbitrariamente estabelecidos para poder estar cheio do Espírito Santo.

O fato é que ninguém recebe o Santo Espírito por ter grandes feitos espirituais. Na verdade, dizer a alguém que terá primeiro de alcançar determinado padrão pode impedi-lo de atingir a mesma fonte pela qual lhe é dado viver uma vida vitoriosa.

Além disso, devemos ter cuidado ao julgar o próximo, pois ele pode não estar tão esclarecido em todos os assuntos quanto nós.

Não nos esqueçamos também de que os novos cristãos não podem ir muito longe na sua luta contra essas más tendências, ou nos seus esforços por se tornarem, bons, mas tem de se atirar sem reservas nos braços do Senhor e confiar que opere neles pelo Seu Espírito, o que não podem fazer por si mesmos. Todos os nossos esforços nada mais produzem senão obras da carne (Gl 5.19,21).

Por falta de melhor compreensão disso, milhares de pessoas têm deixado de ser batizados com o Espírito Santo. Elas sentem no íntimo que não atingiram um nível alto o suficiente de santidade ou de espiritualidade para poderem receber esse batismo. Grave erro, pois não podem produzir os frutos do espírito senão quando receberem o Espírito.

Tem sido dito com propriedade que o Espírito Santo é dádiva, mas deixaria de o ser concedido por mérito. E o que Cristo dá a entender. Pois, se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem (Lc 11.13).

Parece, às vezes, que a consciência de certas pessoas as impede de receberem o batismo. Elas desejam estar absolutamente certas de que são bastante santas, e tal atitude lhes serve de obstáculo à fé. Mas Deus declarou que derramaria Seu Espírito “sobre toda a carne”, não apenas sobre os perfeitos.

No dia de Pentecostes, Deus deu ao Seu povo o Espírito Santo. A Sua parte neste assunto está completada. O Espírito Santo está pronto a encher qualquer vaso de Sua presença que O queira receber. Ele não vem por termos porventura alcançado alto nível de perfeição, mas porque deseja provar os meios pelos quais possamos atingir aquele alvo.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.666 outros seguidores