Foto do Casamento do Bispo Edir Macedo

As melhores fotos da IURD, dos bispos e pastores, você só encontra aqui no Blog Universo Universal!!!

Tem alguma foto da IURD e deseja compartilhar conosoco? Envie para: universouniversal@msn.com

 

Foto do início da IURD: Bispo Edir Macedo, Missionário RR Soares e Bispo Roberto Augusto

De preto: Missionário  R.R.Soares, Bispo Edir Macedo, Dona Ester Bezerra, Bispo Roberto Augusto, crianças: Cristiane e Viviane

Foto do Casamento do Bispo Romualdo com a Dona Márcia – Igreja Universal IURD

As melhores fotos da IURD, dos bispos e pastores, você só encontra aqui no Blog Universo Universal!!!

Tem alguma foto da IURD e deseja compartilhar conosoco? Envie para: universouniversal@msn.com

Bispo Macedo cantando NOSSO SONHO

O Casamento do Bispo Macedo

Neste sábado (18), Bispo Edir Macedo e dona Ester completam 39 anos de casados, com um relacionamento repleto de amor e respeito.

Felizes por estarem completando suas bodas de mármore, o que corresponde a 39 anos de casados, o bispo Edir Macedo e a esposa Ester Bezerra falam em entrevista sobre os principais ingredientes para um relacionamento bem-sucedido. Leia o resto deste artigo »

Familia do Bispo Edir Macedo

Destaque especial a EBI

Como vocês já devem ter percebido, eu adicionei a seção CATEGORIAS, uma categoria exclusiva para a EBI. Eu estava pensando, e me achei um pouco injusto de colocar o Força Jovem, e não colocar a EBI como categoria. Pois agora, eu coloquei uma categoria para as tias da escolinha dominical, e para as crianças… Aproveitem.

Sempre que quiserem mandar uma materia para ser publicada aqui no Universo Universal, mande a materia por email:

universouniversal@msn.com

 

Aproveito para anunciar que meus amigos do IURDtube, criaram um novo canal no youtube, um canal dedicado a Escolinha Biblica da Igreja Universal, chama-se IURDtubinho. Um nome extremamente criativo, eu admito… e vai arrebentar.

Vejam que sempre que damos destaque ao grupo Jovem ele arrebenta, vamos tratar de igual modo o trabalho com as crianças.

Meu Pai – Dona Cristiane Cardoso

Cristiane CardosoEu só me tornei realmente próxima do meu pai (Bispo Edir Macedo) quando fiz 12 anos.
Eu não nasci em uma família rica. Naquele tempo, meu pai tinha dois empregos e ainda ia estudar à noite. Quando ele chegava em casa, eu já estava dormindo. Na hora em que eu acordava, ele já havia ido. Poucos anos depois ele já não trabalhava e estudava como antes, as coisas haviam mudado, meu pai tinha se tornado um pastor em uma igreja que abria sete dias na semana e tinha reuniões três vezes ao dia. Uma vez mais, ele chegava em casa depois de irmos para cama e saía de casa antes de acordarmos.
Minha mãe, por outro lado, fazia questão de nos explicar o motivo de todas as suas ausências. Ela sempre nos contava sobre a Obra de Deus e como o papai estava ajudando a outros. Ela o fez muito bem porque eu não me lembro de ter ficado chateada ou revoltada com isso, pelo contrário, eu entendia a sua ausência. Como a igreja cresceu e mais pastores foram levantados, eu via mais o meu pai, mas não como eu gostaria. O dia em que ele descansava era o dia em que nós o pedíamos para nos levar para sair. Tadinho. Eu me lembro de fazê-lo nos levar para assistir E.T. nos teatros (eu iria assistí-lo pela segunda vez) e ficar desapontada com ele por não achá-lo o melhor filme que havia.
A igreja cresceu e mais tempo do meu pai era requerido. Ele já não realizava mais reuniões três vezes ao dia, ele estava tomando conta de centenas de coisas de uma só vez. Ele chegava em casa com a mente cheia e quando minha irmã e eu tínhamos uma das nossas crises de riso, ele nos dizia para ficarmos quietas… eu me lembro de ter pensado: “qual é o problema dele? Nós só estamos sendo felizes!”
Mas quando fiz 12 anos, nós nos mudamos para os EUA e meu pai deixou uma igreja que tinha praticamente 50.000 membros  e foi para uma que tinha por volta de 15 pessoas. Para esse novo desafio, meu pai teve que aprender a falar inglês, e a família toda também. Nós saíamos e ficávamos perdidos por horas porque não conseguíamos entender ninguém nos dando direções. Esses foram bons tempos… tempos em que passávamos rindo do inglês ruim uns dos outros. Foi aí que nos tornamos bem próximos e quando decidi que eu queria me casar com um homem assim como ele…
Um bom pai é aquele tipo de pessoa para quem você olha e entende completamente que embora tempos difíceis tenham vindo ele a fez admimirá-lo por isso. Meu pai não precisou me levar para passear para me  mostrar o quanto ele me amava… meu pai só teve que ser um pai – isso foi o bastante.

Cristiane Cardoso,

GRITO DE SOCORRO

Ester-BezerraQuando em criança nos sentimos ameaçados, corremos para o seguro colo do pai ou da mãe, isso para não dizer o colo aconchegante do avô e da meiga avó. Aqueles braços são o perfeito lugar seguro quando somos pequenos.
Quando estávamos na escola, tínhamos que estudar muito para tirar boas notas e então passar para outro nível escolar. A segurança estava no nosso esforço e abnegações, de muitas coisas e passeios, para nos dedicar aos estudos.
Já com a nova empresa procuramos formá-la legal e cercá-la de toda a segurança. Fazemos seguros contra incêndio, roubos e na parte contábil de acordo como a lei manda. O sucesso está nessas básicas iniciativas, depois então veremos o ponto e a divulgação do comércio.
Na família procuramos cumprir com os deveres, quer sejam de pais, esposas ou filhos, tudo dentro das orientações recebidas desde a infância. A união, o respeito e o amor dão estabilidade e permanência aos membros desta.
É necessário sentirmos segurança todo o tempo de nossas vidas. Sem esta fé natural, nos sentimos como as ondas do mar que vão e vêm, pois às vezes nos deparamos com situações que parecem que vão nos engolir de tão grandes que são.
A cada ano que passa complica-se cada vez mais. Nos países acometidos por catástrofes climáticas como terremotos, furacões e enchentes, isso tem deixado o homem mais traumatizado ainda, pois só quem já passou por estes momentos pode entender a proporção do desespero. Toda a agricultura é afetada, a água, a luz, falta tudo! É um caos! Não ter água para cozinhar, nem tomar banho. Calor ou o frio! Não é fácil manter a calma.
Sabendo de todas as coisas, Deus deixou-nos a Sua Santa Palavra através da qual, pelo Seu Espírito, fala conosco e sentimos paz e confiança.
Quando o salmista estava aflito, ele disse: “Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra…”
( Salmos 121.1-8).
Ele diz monte se referindo ao altar, o lugar alto onde Deus está para ser adorado. E ainda dá a dica de que é o Único que merece ser adorado, “que fez o céu e a terra”, nenhum outro santo teve esse poder de criar, só a Trindade, só Deus.
As nossas crianças da IURD precisam saber onde estarão seguras, que o lugar é o Altar de Deus, lá estarão guardadas de todo o mal.
E assim temos o consolo, que se O invocarmos estaremos seguros. Sempre, em todas as nossas viagens missionárias, ao entrar no avião, faço esta oração, este último versículo: “O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre.” Que cuidado especial! Não há outra coisa que se compare a essa proteção e que a humanidade procura por toda a sua vida. Eu achei, e você, amigo?

Na certeza,
Ester Bezerra

O Melhor Voto

Ester-Bezerra

Nos tempos antigos, quando a mulher não dava à luz, ela era muito rejeitada e humilhada pela maioria das pessoas.

Na Palavra de Deus lemos a respeito de Ana, uma esposa muito angustiada porque não tinha filhos, o que a fazia sentir-se envergonhada. Seu marido a amava, dava-lhe conforto e segurança, e eles sempre iam ao Templo juntos para sacrificar grandes ofertas em agradecimento ao Senhor, mas ela não esquecia de requerer de Deus a sua tão almejada bênção que era ser mãe.

Os anos foram passando e nada de seu sonho se concretizar. Até que um dia, a dor e a tristeza chegaram a um limite que não puderam mais ser suportados. Ela chorava muito e não tinha sequer apetite para se alimentar. Então Ana resolveu ir sozinha à Casa de Deus e fazer um voto.

Chegando ao altar, não se ouvia o que ela falava, apenas seus lábios se movimentavam pois derramava perante o Senhor a agonia de sua alma aflita.

E disse: “Senhor dos Exércitos, se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva te não esqueceres, E LHE DERES UM FILHO VARÃO, AO SENHOR O DAREI POR TODOS OS DIAS DA SUA VIDA…”
(1 Samuel 1.11).

Observando-a o profeta Eli, lhe disse: “Vai-te em paz, e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste” (1 Samuel 1.17).

Então ela voltou a casa feliz, pois tinha certeza de que Deus ouvira sua oração.

Logo em seguida, Deus agraciou Ana com um filho, o qual lhe chamou Samuel, pois dizia: “Do Senhor o pedi” (1 Samuel 1.20).

O que mais desejava e o que era mais precioso, Ana ofereceu ao Deus Todo-Poderoso.

Muitas mulheres desejam ter filhos para se orgulharem da sua beleza, inteligência e, sobretudo, para serem muito amadas.

Ana decidiu devolver sua bênção ao Senhor, se despojando de todo egoísmo, satisfação pessoal e até mesmo do prazer de cuidar do seu bebê e de vê-lo crescer na beleza da idade inocente, tão-somente para oferecer a Deus a sua oferta mais preciosa. E porque usou a fé inteligente,logo depois foi agraciada com mais três filhos e duas filhas.
O desejo das mulheres de hoje deveria ser o mesmo de Ana: fazer de seu filho um homem de Deus!

Assim Samuel viveu toda sua vida servindo ao Senhor, abençoando o povo e representando-O aqui na Terra.

E você, leitor, veja qual é o seu desejo, ofereça-o a Deus e Ele realizará este
e muitos outros.

Deus lhe abençoe,

ESTER BEZERRA.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.501 outros seguidores