Cura de Atresia tricúspide e infertilidade

Os empresários Marco Antônio Perillo, de 30 anos, e Mariana Perillo, de 20, enfrentaram um grave problema quando se casaram: ela só poderia engravidar se fizesse
um tratamento.

Mariana já ia às reuniões da IURD há 5 anos. “Jejuei, orei e, após 3 meses, engravidei. Aos 5 meses de gestação, eu e meu esposo ficamos sabendo pelos médicos que o bebê tinha atresia tricúspide”, revela.

Trata-se de uma rara doença cardíaca congênita. Neste defeito, o fluxo sanguíneo do átrio direito para o ventrículo direito é bloqueado pela ausência ou desenvolvimento anormal da válvula tricúspide.

Desesperado, o casal intensificou as orações. “Sabíamos que um milagre aconteceria. Hoje, Anna Luíza, que tem 5 meses, nasceu saudável e está curada”, finaliza o casal.

IGREJA UNIVERSAL – ONDE O MILAGRE É COISA NATURAL

Cura de Endometriose

A dona de casa Lúcia Messias Gerlinzer, de 42 anos, recebeu a notícia dos médicos de que não poderia ter filhos. Ela tinha endometriose, doença que causa dor e infertilidade. “Naquele momento, meu sonho de ser mãe foi destruído.”

Mesmo fazendo tratamento, ela não recebia boas notícias. Diante do fracasso, foi incentivada pelo marido a procurar a Igreja Universal. “Frequentava as reuniões e tinha fé de que o poder de Deus ia possibilitar que ficasse grávida.”

Quando Lúcia menos esperava, descobriu que estava com 5 meses de gestação. “Minha filha Jéssica está com 1 ano e 3 meses. Agora tenho uma família feliz”, relata.

Participe você também da Corrente dos 70, que acontece as terças-feiras, às 10h, 15h e 19h, na Igreja Universal do Reino de Deus.

Cura de Infertilidade na Igreja Universal

Realizar o sonho de ser mãe era o desejo de Silvana de Almeida Ramos, de 37 anos. Ela estava casada há 7 anos quando decidiu procurar um médico para iniciar tratamento.

“Fiz exames para descobrir o motivo pelo qual não conseguia engravidar e fiquei surpresa com o resultado: eu e o meu marido não tínhamos problemas de fertilização”, relata.
Ela ficou 2 anos se submetendo a tratamentos médicos e remédios fortes.

“Os medicamentos faziam muito mal e não adiantavam.” Certo dia, Silvana assistiu a um programa de tevê da Igreja Universal e resolveu procurar a IURD. “Frequentei as reuniões de cura. Tinha fé que conseguiria a vitória. Dois meses depois engravidei. Hoje tenho dois filhos, sinto-me realizada”, finaliza.

Participe você também da Corrente dos 70, que acontece as terças-feiras, às 10h, 15h e 19h, na Igreja Universal do Reino de Deus.

Realizar o sonho de ser mãe era o desejo da operadora de caixa Silvana de Almeida Ramos, de 37 anos. Ela estava casada há 7 anos quando decidiu procurar um médico para iniciar tratamento.

“Fiz exames para descobrir o motivo pelo qual não conseguia engravidar e fiquei surpresa com o resultado: eu e o meu marido não tínhamos problemas de fertilização”, relata.
Ela ficou 2 anos se submetendo a tratamentos médicos e remédios fortes.

“Os medicamentos faziam muito mal e não adiantavam.” Certo dia, Silvana assistiu a um programa de tevê da Igreja Universal e resolveu procurar a IURD. “Frequentei as reuniões de cura. Tinha fé que conseguiria a vitória. Dois meses depois engravidei. Hoje tenho dois filhos, sinto-me realizada

Mais e mais milagres na IGREJA UNIVERSAL

Uma infiltração de sangue conhecida por hematoma retroplacentário impedia a cabeleireira Renata de Araújo, de 32 anos, de ter filhos. “Perdi o primeiro bebê e na segunda gestação a médica me informou que tinha hematoma na placenta e que mais uma vez sofreria um aborto.”
Ela revoltou-se e pediu para a especialista uma solução.
“A doutora me indicou um tratamento com vários remédios e vacina. Mas busquei ajuda na IURD participando das reuniões de cura.”

Finalmente ela realizou o sonho de ser mãe. “Crendo na Palavra de Deus minha vida começou a mudar. Hoje tenho uma filha saudável, a Victória, de 4 anos”, testemunha.

Participe você também da Corrente dos 70, que acontece as terças-feiras, às 10h, 15h e 19h, na Igreja Universal do Reino de Deus.

Cura de Infertilidade, hemorragia, insônia, dor de cabeça e febre…

Grave hemorragia que não cessava impedia a autônoma Maria Isa de Oliveira, de 42 anos, de ser mãe. Apesar de ir a médicos, não concluía a gestação. “Quando engravidava, o bebê só resistia até os 4 meses. Mesmo com tratamentos, sofri cinco abortos espontâneos”, relata.
Para piorar, Maria tinha insônia, dor de cabeça, febre, tomava remédios controlados e via vultos.

Ela só melhorou após ir às correntes de cura na IURD. “Os problemas acabaram, inclusive a hemorragia.

Consegui engravidar e concluir a gestação. Meu primeiro filho, Mateus Claudino, nasceu saudável e hoje está com 10 anos. Deus me abençoou ainda com outro filho para completar minha felicidade”, conclui.

Participe você também da Corrente dos 70, que acontece as terças-feiras, às 10h, 15h e 19h, na Igreja Universal do Reino de Deus.

Cura de Infertilidade

A maioria das mulheres sonha um dia ser mãe. A dona de casa Patrícia da Silva Cardoso, de 31 anos, não tinha mais esperanças, pois via esta possibilidade cada vez mais remota. “Tentei ficar grávida de várias maneiras, mas não conseguia. Minha médica dizia que não adiantava fazer tratamentos, porque seria impossível”, frisa.

Patrícia não desistiu diante da notícia e por meio do convite de uma amiga foi para a Igreja Universal participar das reuniões. “Perseverei com toda a força, somente Deus poderia realizar meu desejo. O Senhor Jesus deu-me a resposta: estava grávida.” A alegria contagiou toda a família, principalmente o marido de Patrícia. Atualmente, o filho do casal tem 1 ano e 4 meses. “Agora sou muito feliz e realizada.”

Participe você também da Corrente dos 70, que acontece as terças-feiras, às 10h, 15h e 19h, na Igreja Universal do Reino de Deus.

CURA DE EPILEPSIA, PROBLEMAS NOS RINS, ENXAQUECA, INFERTILIDADE…

A assistente de departamento pessoal Gislene Alves de Lima, de 36 anos, conta que, desde criança, sofreu com inúmeras enfermidades, entre as quais epilepsia, problemas nos rins e enxaqueca. “Vivia mais nos hospitais do que em casa, à base de medicamentos.

Profissionalmente, não prosperava, pois, diante de tantos problemas de saúde, faltava ao trabalho com frequência”, relembra.

Além disso, aos 18 anos, Gislene ficou sabendo que não poderia engravidar: “Fiquei arrasada, triste e angustiada.” Desacreditada de tudo, a assistente diz que chegou a pensar em suicídio.

A convite de um tio, ela conheceu o trabalho da IURD. “Comecei a fazer as correntes pela cura e meus problemas de saúde foram desaparecendo, um a um. Hoje, sou casada e mãe de dois lindos filhos”, testemunha.

Participe você também da Corrente dos 70, que acontece as terças-feiras, às 10h, 15h e 19h, na Igreja Universal do Reino de Deus.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.720 outros seguidores