Como funciona o Batismo no Espírito Santo? Como saber se eu fui batizado com Espírito Santo?

Batismo no Espirito Santo

O batismo do Espírito Santo é a maior experiência que você poderá receber neste planeta! Se você ainda não se arrependeu dos seus pecados, não hesite mais, faça-o agora. Se o seu pastor ainda não lhe batizou nas águas em o nome de Jesus (Atos 2:38), combine com ele para fazer isto imediatamente. Você deve dar estes dois passos em preparação para seu batismo no Espírito Santo.

Assim que você procurar receber o Espírito Santo, há cinco coisas básicas que deve fazer. São, tão simples que podes verificar mentalmente enquanto ora. Se esquecer de uma delas nesta combinação bíblica, poderá perder sua oportunidade para nascer do Espírito. Assim como um automóvel precisa de um motor, gasolina, óleo, transmissão e rodas para andar, os princípios básicos discutidos a seguir, são essenciais àqueles que procuram o dom do Espírito Santo.

DESEJAR O DOM
DO ESPÍRITO SANTO

Você deve ter um desejo tão forte e irresistível para receber o Espírito Santo que apressará seus passos para Deus em oração. Este desejo lhe ajudará a esquecer todos que lhe rodeiam e a maneira com que os outros lhe vêem quando ora. Jesus disse:
“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos”. (Mateus 5:6) O batismo do Espírito Santo é uma pérola de grande valor, o que suprirá todas as suas necessidades presentes.
A lei e os profetas vigoraram até João; desde esse tempo vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele”. (Lucas 16:16) Você deve desejar ardentemente receber o Espírito Santo.

PENSAR NO SENHOR

Quando ora, deve levar seu pensamento exclusivamente a Deus. Provavelmente descobrirá que quando ora, sua mente quer se desviar do seu propósito para pensar nas suas falhas e tarefas não cumpridas durante o dia. Todo tipo de pensamento poderá vir a sua mente ao ponto de que a sua oração não passa de uma vã e vazia repetição. Você deve resistir esta tendência da carne. Deve manter sua mente focalizada no Senhor Jesus. Está escrito: “Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento”. (Mateus 22:37).
Se a sua mente não está concentrada e sincronizada com as palavras que ora, não está de fato orando, então, mas simplesmente repetindo frases vãs. Deve tirar da sua mente todos os pensamentos acerca das atividades passadas, presentes e futuras, e pensar somente em Jesus, que morreu na cruz para sua salvação e lhe proporcionar o dom do Espírito Santo. Quando você realmente procura fazer isto enquanto ora, o seu próximo passo será facilitado.

LOUVAR AO SENHOR DE TODO O SEU CORAÇÃO

Será mais fácil louvar ao Senhor quando a gratidão verdadeira enche a sua alma e pensa no fato que Jesus morreu na cruz por você. No meio de uma oração sincera e um louvor genuíno, Deus cumprirá o desejo dEle dentro de você. Devemos oferecer-Lhe um sacrifício em oração: “Pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome”. (Hebreus 13:15)

Para um corpo cansado é difícil oferecer uma oração benéfica, no entanto a Bíblia lhe exorta para oferecer um sacrifício de louvor. Louvar a Deus enquanto está cansado agrada a Deus e Ele lhe recompensará com Suas bênçãos.

Vi muitos cultos começarem com desânimo e ar de cansaço, com altas temperaturas tropicais fora do prédio da igreja e ainda mais abafado no lado de dentro. Ainda neste ambiente difícil o pregador começa a encorajar as pessoas a louvarem ao Senhor. No princípio parecia difícil, mas não demorou vir as renovadoras ondas da Glória do Senhor.

A cena do Dia de Pentecostes foi composta daqueles que Lhe obedeceram, voltando a Jerusalém, onde O louvaram, e O adoraram com grande alegria e em um acordo.

FALA LOUVANDO A DEUS

É impossível alguém louvar a Deus com toda sua alma, coração, mente e força, sem usar sua voz. As orações que emanam do interior de alguém que procura o Senhor com sinceridade, tem que ser ditas em voz audível para serem efetivas. As pessoas ouvem os louvores. Os anjos os ouvem. Mas o melhor de tudo, é que o Senhor os ouve.

Quando Deus encher seu vaso com o Espírito Santo, você experimentará uma alegria nunca antes sentida e estará cheio de glória. Esta alegria será expressa por você ao falar em outras línguas pela inspiração do Espírito.

Por causa do receio de passar vergonha, muitos que querem receber o Espírito Santo abafam suas orações a Deus, orando baixinho ou com as bocas quase fechadas. Parece que eles têm medo de serem multados por fazer barulho em excesso. Caso queira receber o Espírito Santo, tem que abrir sua boca e deixar os louvores fluírem.
É claro que Deus, as vezes, batiza pessoas com o Espírito Santo nos hospitais, onde as pessoas se encontram em condições de fraqueza, mal podendo respirar. Deus sabia, no entanto, que a pessoa estava louvando com toda a sua força.

Louvar a Deus não é difícil, pois as mais simples palavras e frases tais como: Aleluia, eu Te amo, obrigado Senhor, glória a Deus, louvado seja Deus, eu Te louvo Jesus, e etc., são suficientes quando faladas com sinceridade. Caso você se arrependeu, não precisa contar ao Senhor toda a história da sua vida ou Lhe implorar que Ele lhe conceda o Espírito Santo. Tem que crer que o Senhor lhe perdoou os pecados e quer lhe encher com o seu Espírito. (1 João 1:9)

Se louvar ao Senhor intensamente, provavelmente sentirá uma grande satisfação interior e uma felicidade intensa. Não tenha medo deste sentimento ou de perder o controle das suas ações. Deus tomará conta de você bem como fará de você uma nova Pessoa, transformando-lhe em Sua imagem. Agrada ao Senhor com louvores. Deixa Deus fazer um milagre em você. Quando Deus encher seu vaso com o Espírito Santo, você alcançará o que a muito tempo sua alma almejou.

CRÊ QUE DEUS LHE ENCHERÁ
COM SEU ESPÍRITO

Não alimente o Pensamento que só receberá o Espírito no próximo culto. O batismo do Espírito Santo é para você agora. Agora mesmo! Por que não? Deus está presente com você agora, e sempre estará.

As criancinhas começam a aprender uma língua apenas repetindo palavras, muito antes de saberem o seu significado. Suas primeiras expressões podem ser gaguejos, ou repetições de palavras de uma só sílaba. Quando louvamos ao Senhor intensamente, podemos até esquecer onde estamos e começar a gaguejar tal como uma criancinha. Em seguida aperceberemos que nosso louvor mudou e começaremos a dizer palavras que não entendemos. Nesta altura, não podemos deixar que o orgulho pessoal ou vergonha nos faça voltar atrás para as palavras usuais de oração. Deus nos adverte: “Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus”. (Mateus 18:3).

Isaias falou também acerca do batismo do Espírito Santo assim: “Pelo que por lábios gaguejantes e por língua estranha falará o SENHOR a este povo, ao qual disse: Este é o descanso… e este é o refrigério…” (Isaias 28:11-12) Quando ora e começa a falar ou pensar em palavras estranhas, não se recua por causa da dúvida, mas continua a falar pela fé, confiando que o Espírito lhe inspirará para falar. A Bíblia diz que todos presentes no cenáculo foram “cheios do Espírito Santo, e passaram a falar em outras línguas segundo o Espírito lhes concedia que falassem.” (Atos 2:4).
O denominador comum bíblico concernente à experiência do recebimento do Espírito Santo é que todos que recebem falam em outras línguas. Quando você começar a falar com palavras desconhecidas, não receia, porque isto é a obra de Deus. Ele está lhe enchendo com o Espírito Santo.

Quando recebi o Espírito Santo, ainda tinha problemas na minha vida pessoal. Depois de uns dias de tribulações, até quis saber se tinha sido batizado com o Espírito ou não. No próximo culto na igreja, contudo, recebi uma renovação com tanto poder e vitória, falando novamente em línguas, que não mais duvidei e chamei Satanás de mentiroso. Eu sabia que tinha recebido o Espírito Santo assim como a igreja primitiva recebeu. Eu sabia que a história da Bíblia e as promessas de Deus são verdadeiras. Ouvi-me a mim mesmo falar em outras línguas. Foi real, poderoso e vitorioso.
Presenciei umas quatro ou cinco vezes (uma vez no meio da selva) quando pessoas, ao receber o Espírito Santo, falaram em Francês ou Inglês fluente. Ouvi uma declaração jubilante em Inglês, “Eu acabo de receber o Espírito e Cristo vem!”. Um outro disse em Francês, “Meu Grande Deus! Deus!” Falar em línguas, as vezes, é falar numa língua celestial, que pertence exclusivamente a um país celestial. Se uma pessoa falar muitas palavras diferentes e frases longas ou curtas em outras línguas subseqüentemente, falará estas línguas pela inspiração do Espírito Santo. Todos recebem a “Fonte que jorra para a vida eterna”. (João 4:14)

O profeta Isaias, referindo-se ao recebimento do Espírito Santo, disse que com lábios gaguejantes e por línguas estranhas Deus falaria com seu povo. Jesus Cristo, o que batiza com o Espírito Santo, dá outros sinais do recebimento do Espírito Santo. (Compare Mateus 11:28, com Isaias 28:11, Mateus 3:11 e Gálatas 5:22-23). Quando sentir que está falando numa língua desconhecida, saiba que está recebendo o Espírito Santo, pois está evidente que é o mesmo sinal que eles receberam no Dia de Pentecostes, em todo o Novo Testamento e até o dia de hoje.

O Apóstolo Tiago escreveu que de todos os membros do corpo, o mais difícil de domar é a língua. Quando uma pessoa se arrepende dos seus pecados com fé, está preparando seu corpo (templo) para ser ocupado pelo Espírito Santo. O homem forte do templo físico é a língua. Quando render sua língua ao Espírito Santo num desejo intenso de receber o Espírito Santo, pensa em Jesus Cristo, louvando-O com sua voz, e o “homem forte” (sua língua) será subjugado pelo mais forte, o Espírito Santo, que lhe proporcionará retidão, alegria e paz. (Romanos 14:17) Você e todos os que lhe rodeiam saberão que você recebeu o Espírito Santo quando sua língua se sujeitar ao Espírito, que falará através de você com “lábios gaguejantes e por língua estranha”

Dia de Pentecostes

Algumas verdades sobre o Espírito Santo

espirito santo

O Espírito Santo é a fonte da verdade. A Bíblia diz em João 14:16-17 “E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre, a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós.”
Receber o Espírito Santo significa nascer de novo. A Bíblia diz em João 3:5-7 “Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te haver dito: Necessário vos é nascer de novo.”
Para receber o Espírito Santo é só pedir e depois seguir a Sua direção. A Bíblia diz em Lucas 11:13 “Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Atos 5:32 “E nós somos testemunhas destas coisas, e bem assim o Espírito Santo, que Deus deu àqueles que lhe obedecem.”
O Espírito Santo é parte da Trindade. A Bíblia diz em Atos 5:3-4 “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço do terreno? Enquanto o possuías, não era teu? e vendido, não estava o preço em teu poder? Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
O Espírito Santo é Deus vivendo naqueles que creêm. A Bíblia diz em Mateus 18:19-20 “Ainda vos digo mais: Se dois de vós na terra concordarem acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Pois onde se acham dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.”
O Espírito Santo está presente em tempos de tribulação. A Bíblia diz em Mateus 10:19-20 “Mas, quando vos entregarem, não cuideis de como, ou o que haveis de falar; porque naquela hora vos será dado o que haveis de dizer. Porque não sois vós que falais, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós.”
O Espírito Santo ajuda-nos a adorar a Deus. A Bíblia diz em João 4:23-24 “Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.”
O Espírito Santo dá-nos a habilidade de conversar sobre temas espirituais com convicção. A Bíblia diz em Atos 1:8 “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra.”

Evidências do Genuíno Batismo no Espírito Santo

evangelho
At 10.44,45 “E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios.”

 

As Escrituras ensinam que o crente deve examinar e provar tudo o que se apresenta como sendo da parte de Deus (1Ts 5.21; cf. 1Co 14.29). “Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus” (1Jo 4.1). Seguem-se alguns princípios bíblicos para provar ou testar se é de Deus um caso declarado de batismo no Espírito Santo.

 

(1) O autêntico batismo no Espírito Santo levará a pessoa a amar, exaltar e glorificar a Deus Pai e ao Senhor Jesus Cristo mais do que antes (ver Jo 16.13,14; At 2.11,36; 10.44-46).

 

(2) O verdadeiro batismo no Espírito Santo aumentará a convicção da nossa filiação com o Pai celestial (1.4; Rm 8.15,16), levará a uma maior percepção da presença de Cristo em nossa vida diária (Jo 14.16, 23; 15.26) e aumentará o clamor da alma “Aba, Pai”! (Rm 8.15; Gl 4.6). Por sua vez, um batismo no Espírito Santo que não leva a uma maior comunhão com Cristo e a uma mais intensa comunhão com Deus como nosso Pai não vem dEle.

 

(3) O real batismo no Espírito Santo aumentará nosso amor e apreço pelas Escrituras. O Espírito da verdade (Jo 14.17), que inspirou as Escrituras (2Tm 3.16; 2Pe 1.20,21), aprofundará nosso amor à verdade da Palavra de Deus (Jo 16.13; At 2.42; 3.22; 1Jo 4.6). Por outro lado, qualquer suposto batismo no Espírito que diminui nosso interesse em ler a Palavra de Deus e cumpri-la, não provém de Deus.

 

(4) O real batismo no Espírito Santo aprofundará nosso amor pelos demais seguidores de Cristo e a nossa preocupação pelo seu bem-estar (2.38, 44-46; 4.32-35). A comunhão e fraternidade cristãs, de que nos fala a Bíblia, somente podem existir através do Espírito (2Co 13.13).

 

(5) O genuíno batismo no Espírito Santo deve ser precedido de abandono do pecado e de completa obediência a Cristo (2.38). Ele será conservado quando continuamos na santificação do Espírito Santo (2.40; 2Ts 2.13; Rm 8.13; Gl 5.16,17). Daí, qualquer suposto batismo, em que a pessoa não foi liberta do pecado, continuando a viver segundo a vontade da carne, não pode ser atribuído ao Espírito Santo (2.40; 8.18-21; Rm 8.2-9). Qualquer poder sobrenatural manifesto em tal pessoa trata-se de atividade enganadora de Satanás (cf. Sl 5.4,5).

 

(6) O real batismo no Espírito Santo fará aumentar o nosso repúdio às diversões pecaminosas e prazeres ímpios deste mundo, refreando-nos a busca egoísta de riquezas e honrarias terrenas (20.33; 1Co 2.12; Rm 12.16; Pv 11.28).

 

(7) O genuíno batismo no Espírito Santo nos trará mais desejo e poder para testemunhar da obra redentora do Senhor Jesus Cristo (ver Lc 4.18; At 1.8; 2.38-41; 4.8-20; Rm 9.1-3; 10.1). Inversamente, qualquer suposto batismo no Espírito que não resulte num desejo mais intenso de ver os outros salvos por Cristo, não provém de Deus (ver 4.20 nota).

 

(8) O genuíno batismo no Espírito Santo deve despertar em nós o desejo de uma maior operação sua no reino de Deus, e também uma maior operação de seus dons em nossa vida. As línguas como evidência inicial do batismo devem motivar o crente a permanecer na esfera dos dons espirituais (2.4, 11, 43; 4.30; 5.12-16; 6.8; 8.7; Gl 3.5; ver o estudo O FALAR EM LÍNGUAS).

 

(9) O autêntico batismo no Espírito Santo tornará mais real a obra, a direção e a presença do Espírito Santo em nossa vida diária. Depois de batizados no Espírito Santo, os crentes de Atos tornaram-se mais cônscios da presença, poder e direção do Espírito Santo (4.31; 6.5; 9.31; 10.19; 13.2, 4, 52; 15.28; 16.6,7; 20.23).

Inversamente, qualquer suposto batismo no Espírito Santo que não aumentar a nossa consciência da presença do Espírito Santo, nem aumentar o nosso desejo de obedecer à sua orientação, nem reafirmar o nosso alvo de viver diante dEle de tal maneira a não entristecê-lo nem suprimir o seu fervor, não provém de Deus.

Igreja Ardente e cristãos inflamados pelo Espírito Santo

“Vim lançar fogo na terra; e que mais quero, se já está aceso?” (Lucas 12:49)
Ao longo de sua vida e de seu ministério neste mundo, a presença do Senhor Jesus foi a presença permanente do fogo, ressuscitando mortos, curando leprosos, fazendo andar os paralíticos, purificando a vida de ladrões e prostitutas e confrontando os religiosos.
Jesus veio atear fogo na terra. “Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo”, foi a profecia de João Batista (Mateus 3:11).
A igreja primitiva era uma igreja que ardia porque recebera o cumprimento literal da promessa: “E apareceram distribuídas entre eles, línguas como de fogo e pousou sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo”(Atos 2:3, 4). Esta sim era uma igreja poderosa, capaz de dizer a um paralítico: “Não temos ouro nem prata, mas o que temos, te damos: em nome de Jesus, levanta-te e anda”. (Atos 3:6) Cada cristão. Cada membro da igreja ardia com o fogo do Espírito Santo. Era impossível passarem desapercebidos. Suas vidas queimavam e o mundo era incendiado com as boas novas de Cristo. Os sinais os acompanhavam por onde quer que fossem. E o Senhor “acrescentava-lhes dia a dia, os que iam sendo salvos”. (Atos 2:47)
Já se passaram séculos depois e eu pergunto: Onde está o fogo?
A igreja passou pelo crivo da reforma. Anos mais tarde houve o “avivamento Pentecostal” onde as igrejas tornaram quase que obrigatório que seus membros falassem “línguas estranhas” projetando-se para o dia de pentecostes relatado no livro de Atos dos apóstolos capitulo 2:3 e 4.
O mundo girou o tempo passou o ardor dos cristãos agora virou “dança no espírito”, “sapatinho de fogo”, unção disso e unção daquilo. Quando foi a última vez que você viu ou ouviu seu pastor ou algum irmão da igreja dizer “Em nome de Jesus levanta e anda?” O que foi que aconteceu com o fogo que Jesus acendeu quando esteve na terra e que sua igreja devia continuar fazendo crescer?
As igrejas mudaram suas prioridades, ou melhor, os membros mudaram. Os cultos de oração estão sendo trocados por momentos de lazer em que se dedica toda a atenção às novelas, ou ao jogo de futebol. Se houver cultos às quartas-feiras ninguém vai. Afinal é o dia em que se transmite os jogos do campeonato.
As vigílias estão se extinguindo, pois ninguém quer mais buscar os dons do Espírito. Trocaram por aulas de informática, afinal de contas se você não souber navegar na internet, como compartilhar informações pessoais no Twitter, FaceBook, Orkut etc.
Se alguém adoecer, o Pastor ora. Se cair alguém endemoninhado, o pastor ora. Os membros, os cristãos, estão noutra. Se a situação piorar, compra-se um lenço suado, uma garrafinha d’água benta, e tudo estará resolvido. Os aleijados agora contam com uma medicina eficaz e moderna. Os pastores que se preocupem em jejuar e orar de madrugada.
Qual a solução para nossa fraqueza humana? O que significa o fogo? “Ele vos batizará com o Espírito Santo e com Fogo”, Profetizou João Batista. O fogo é um dos símbolos do Espírito Santo.
O que devemos fazer para receber o Espírito Santo e sermos envolvidos por esse fogo divino?
Onde está o fogo?
“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á”. (Mateus7:7)
O fogo está no mesmo lugar. Aceso. Onde sempre esteve. À disposição da igreja.
Depende de nós…

Bispo Macedo diz sobre “A Santíssima Trindade”

Muito embora a Santíssima Trindade seja um mistério para ser revelado apenas quando estivermos diante do trono da graça, ainda assim, podemos ter certeza absoluta da Sua existência, pelas informações dadas nas Escrituras Sagradas. Alguns versículos são por demais explícitos a este respeito, não permitindo qualquer dúvida da Sua realidade. O exemplo mais claro e evidente da manifestação da Santíssima Trindade foi exatamente no batismo do Senhor Jesus, realizado por João Batista, conforme documentou Mateus:

“Por esse tempo, dirigiu-se Jesus da Galiléia para o Jordão, a fim de que João o batizasse. Ele, porém, o dissuadia, dizendo: Eu é que preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim? Mas Jesus lhe respondeu: Deixa por enquanto, porque, assim, nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o admitiu. Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.” Mateus 3.13-17

Daí, as três Pessoas são identificadas:

O Filho, sendo batizado nas águas;

O Espírito Santo, descendo sobre o Filho em forma de uma pomba;

O Pai, identificando do Céu o Seu Filho amado, Jesus.

Também o apóstolo João confirma a existência da Trindade, quando diz: “E três são os que testificam na terra: o Espírito, a água e o sangue, e os três são unânimes num só propósito.” (1 João 5.8).

No Antigo Testamento não há qualquer referência direta à Trindade. Porém, na criação do homem, encontramos na expressão de Deus o seguinte: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança.” (Gênesis 1.26); “Então, disse o Senhor Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós.” (Gênesis 3.22).

Esta maneira pluralista de referir-se a Si próprio revela indiretamente a existência da Santíssima Trindade.

A Bíblia revela que na Santíssima Trindade temos três Pessoas distintas; porém, Um só Deus: Deus-Pai, Deus-Filho e Deus-Espírito Santo. Como isto é um mistério, devemos nos alegrar por já termos esta base de conhecimento, uma vez que o oculto fica com Deus, conforme a própria Palavra nos adverte:

“As coisas encobertas pertencem ao Senhor, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.” Deuteronômio 29.29.

(*) Texto retirado do livro “O Espírito Santo”, do bispo Edir Macedo.

5º Jejum de Daniel na Igreja Universal – IURD

Durante a programação da IURD TV desta sexta-feira, o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), falou que todos aqueles que acreditam em Deus devem saber aliar a sua fé a sua crença. Ele também anunciou que no dia 13 de agosto inicia-se a 5º edição do “Jejum de Daniel”.

“Quando a pessoa crê, ela age, toma uma atitude; mas quando ela não crê, não alcança nada de Deus e então passa a se sentir frustrada diante da situação. Quero deixar claro que a culpa não é de Deus, pois o que Ele tinha que fazer já fez, porém a nossa parte é somente receber, aceitar, crer e acreditar em Suas promessas”, disse.

Ainda durante a mensagem, o bispo anunciou que no próximo dia 13 de agosto, a IURD começará os 21 dias do Jejum de Daniel. Propósito este que já teve quatro edições realizadas e trouxe excelentes resultados na vida daqueles que se lançaram de corpo, alma e espírito. Durante essa campanha de fé, milhões de pessoas espalhadas pelo mundo foram batizadas com o Espírito Santo, entre elas muitas crianças que tiveram uma inesquecível experiência com Deus.

“Quero dizer que começaremos o Jejum de Daniel, mas desta vez haverá um diferencial, pois nesta próxima segunda-feira todos os bispos e pastores estarão jejuando por 12 horas, durante os sete dias que antecedem a campanha de fé. Este jejum será realizado pela vida financeira de todos os dizimistas da casa de Deus”, afirmou.

O bispo também enfatizou a importância dos fiéis participarem das reuniões na próxima semana,para que passem pelo altar da igreja.: “Gostaria que todos fizessem um esforço para participarem das reuniões durante esses sete dias. Os dizimistas subirão no altar e será como se estivessem subindo no próprio Monte Sinai, o Monte de Deus”.

O jejum

O jejum é aberto a todas as pessoas que queiram, de fato, nascer de Deus e desejam um compromisso com Ele. Serão 21 dias de abstinência de todo o tipo de informação, tevê, rádio, filmes, novelas, programas seculares, lazer e entretenimento. Quem participar poderá alimentar-se espiritualmente de conteúdos de fé como mensagens, programas evangelísticos da igreja e leitura bíblica.

Fonte: Arca Universal

Para que serve o batismo no Espírito Santo?

Podemos definir o Batismo do Espírito Santo como a obra através da qual o Espírito de Deus coloca o crente em união com Cristo e em união com outros crentes no Corpo de Cristo, no momento da salvação. I Coríntios 12:12-13 e Romanos 6:1-4 são as passagens centrais na Bíblia onde encontramos esta doutrina. I Coríntios 12:13 declara: “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.” Romanos 6:1-4 declara: “Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” Apesar de Romanos 6 não mencionar especificamente o Espírito de Deus, descreve a posição dos crentes perante Deus e I Coríntios 12 nos diz como isto acontece.

O batismo do Espírito Santo faz duas coisas: (1) nos une ao Corpo de Cristo, e (2) valida nossa co-crucificação com Cristo. Sermos parte de Seu corpo significa que somos levantados com Ele para novidade de vida (Romanos 6:4). Devemos então exercitar nossos dons espirituais a fim de mantermos este corpo funcionando adequadamente como afirma o contexto de I Coríntios 12:13. Experimentar o batismo do Espírito funciona como base para mantermos a unidade da igreja, como no contexto de Efésios 4:5. Sermos associados com Cristo em Sua morte, sepultamento e ressurreição através do batismo do Espírito estabelece a base para a conquista da nossa separação do poder do pecado que está dentro de nós e nossa caminhada em novidade de vida (Romanos 6:1-10, Colossenses 2:12).

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 1.676 outros seguidores